segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Leite com manga e óleo de peroba

O fim de semana estava sendo tranqüilo e revigorante, até que eu resolvi terminá-lo no Café com Vodka, a domingayra quinzenal do Sonique que tem sido freqüentada pelos caras mais bonitinhos de SP. Das outras vezes, eu havia me divertido um bocado; dessa vez, não passei da porta, e o efeito do "café com vodka" esteve mais para leite com manga. Com direito a um dilema moral (que eu vim dividir com vocês e na verdade é o que mais importa neste texto).

As domingueiras do Sonique começam, em tese, às 17h. Nas minhas idas anteriores, eu chegava sempre às 18h30 e me arrependia, porque a casa só começava a encher depois das 20h. Dessa vez, segui o conselho de um amigo e cheguei às 20h30. Não foi uma boa ideia - tinha uma fila enorme na porta. Não desanimei, porém: fui para o último lugar e esperei pela minha vez. Pelo tamanho da fila, seria razoável esperar, digamos, vinte minutos. Meia hora, vá lá.

Mas a meia hora virou quarenta minutos,uma hora, uma hora e vinte... e nada da fila andar. Aí comecei a perceber que, enquanto eu e o pequeno exército de manés enfeitávamos a calçada e dávamos prestígio ao lugar, grupinhos de três, cinco, oito (!) pessoas despontavam do nada, perfumadas e saltitantes, furavam a muvuca e entravam na casa, com a maior tranqüilidade. Bastava um aceno ou um telefonema mágico, e logo a segurança abria a comporta e deixava os fofos entrarem. Estava explicado por que não saíamos do lugar: os amiguinhos tinham prioridade sobre os demais mortais. Só que não eram uns gatos-pingados eventuais: eram hordas de amiguinhos! Com certeza, o número de furões eles botaram para dentro foi muito maior do que o de pessoas em pé na calçada – o que significa que a fila inteira teria cabido no lugar, não fosse a má fé generalizada que reinou ali.

Fazia tempo que eu não me sentia tão desrespeitado, ultrajado, insultado. Mas ir embora naquele momento significaria tornar inútil toda a espera que eu já tinha passado, e insisti. Foi aí que vários amigos meus que estavam dentro da casa começaram a sair. Perguntei a um deles como estava a situação lá dentro, e ele me garantiu que a casa não estava mais tão cheia. Mas a fila do lado de fora continuava! Ou seja: além de preterir alguns em favor de outros, o Sonique fazia questão de continuar usando os burros da fila como enfeite para a sua fachada. Essa foi a gota d’água: finalmente dei as costas e evaporei dali. Àquela altura, eu já estava tão amargo que não conseguiria mais me divertir, e a última coisa que queria naquele momento era dar o meu dinheiro para eles. Na boa, isso estragou o meu fim de semana.

Sempre achei deplorável a atitude dessas pessoas que chegam a um clube, jogam a franja pro lado, empinam o nariz e furam a fila, na maior cara-de-pau. Penso que a vileza de caráter desse tipo de gente é a mesma dos velhacos que posam de bons moços para o eleitor, assumem cargos políticos e colocam dinheiro público no bolso. Nem mais, nem menos. Afinal, o fundamento é idêntico: a tal Lei de Gérson, pela qual o sujeito se dá o direito de garantir a própria vantagem às custas de quem quer que seja, e todos os demais que se fodam. O mais incrível é que, no fim do dia, esse tipo de gente repousa a cabeça tranquilamente no travesseiro. Ninguém acha que está errado, ou prefere não enxergar. As pheenas do Sonique que o digam.

Infelizmente, a noite paulistana está cada vez mais dominada por esse tipo de comportamento, que antigamente eu só via no Rio de Janeiro. O triste episódio de ontem me mostrou que, se quiser usufruir da “domingueira mais bombada da cidade”, serei obrigado a chegar cedíssimo, quando a casa ainda estiver às moscas, ou então me render à mesma atitude que eu considero abominável.

Qual seria minha solução instintiva para o dilema? Abandonar o Sonique, é claro. Não acho que o hype da casa mereça que eu passe por cima dos meus valores e me submeta a esse tipo de papelão, que me daria vergonha (um amigo de boa vontade até se ofereceu para caçar o produtor da festa e pedir para ele me botar para dentro, eu é que não quis). É bem mais fácil descartar aquilo e deixar que outros se descabelem no meu lugar. Por outro lado, essa é uma falsa solução, que não resolve o problema. Deixando de ir ao Sonique, não só serei indelicado com um amigo que me espera no seu aniversário na próxima edição do Café com Vodka, como fatalmente vou me deparar com a mesma palhaçada em outros lugares – o 00, para onde penso em ir na minha próxima ida ao Rio, é um forte candidato a repetir a mesma história.

A solução então é partir para um boicote geral aos lugares mais disputados, por uma questão de princípios? Será justo que eu me coloque à margem e me prive dos prazeres da vida, ao passo que os demais se divertem? Enquanto meus amigos que entraram no Sonique aparentemente tiveram uma noite ótima (alguns na base do óleo de peroba, como um conhecido ex-blogueiro que chegou às 21h40, me cumprimentou na fila e logo em seguida cavou seu acesso rápido), eu paguei o pato pelas minhas convicções, tive um enorme desgosto e voltei para casa amuado.


Estou sendo radical e levando a vida a sério demais? Sou um sujeito antiquado, que vive no século passado? Furar fila e passar os outros pra trás é um fundamento da modernidade, e só eu ainda não captei isso? O fato de que todas as pheenas fazem, com a conivência do próprio Sonique, me legitima a também fazer da próxima vez? Tudo o que “os outros” fazem se torna, por si só, correto – é essa a regra? Devo deixar de ser besta e adotar uma postura com a qual não concordo, por uma simples questão de sobrevivência? O que vocês me dizem?

101 comentários:

tonio chaccon disse...

cara, acho triste as coisas partirem para esse caminho, não sei lhe oferecer solução, mas sou muito mais sua convicção - mesmo que solitária - que fazer parte dessa enxurrada de pheenas que ao chegar em casa preparam seu pão seco com mortadela amanhecida e dormem sonhando que são lindas e arrotando o gosto podre do embutido de ontem.

Anônimo disse...

Você não acha que esta culpando a janela pela péssima paisagem que tem? Concordo que as "pheenas" da noite gay paulistana de finas nao tem nada, mas a unica responsabilidade por isso tudo é de quem abre as portas ignorando quem esta na fila. Senta o cacete no Duda Hering, no tal do vipado que teve parte com a ultima noite e estimule o boicote a eles na tentativa que essa baixaria nao se repita mais.

Rubem Matias filho disse...

Vc está certíssimo de contestar essas atitudes equivocadas e desrespeitosas para com todos os demais clientes da fila, mas isso é tão comum em São Paulo como no Rio (onde moro). Vc acha aqui, no Rio, mais, porque é daí, Sampa, e eu acho mais em Sampa pois sou do Rio, e a tendência é que sejamos mais "conhecidos" na noite de nossas cidades e convenhamos isso "facilitaria" né... Bom ou não... Enfim...

Mas só acho que quando a gente morde não dá para soprar junto... Fale claramente, Duda como produtor (e um queridão que é) precisa se atentar para TODOS esses detalhes, não tem essa de que produtor não dá conta de tudo, queridão, porque senão assim fica fácil se tirar da reta, "aos louros tudo meu, às farpas eu passo", NÃO!

Vc está certo sim, nas atitudes e pensamentos, mas cuidado para que ao reclamar, ou conclamar os demais vc não o faça pela mesma "metade moral" dos que furam a fila e ainda lhe cumprimentam nela.

Abração, bonitão...

Anônimo disse...

Thiago, acho q vc possui uma relativa influência com seu blog e as coisas q vc escreve, pertinentes e sensatas.
Minha sugestão, escreva para o dono da "parada" e meta a boca, digo, rasque o verbo.
Quem sabe a sua indignação não possibilite uma mudança na atitude do moço!!!???afinal de contas esse tipo de coisa só acontece com o aval do "propriotário" deste lugar...
meu sangue ferve quando vejo esse tipo de coisa.
abs,
ALEX BEZ

Daniel disse...

Na última vez que eu fui na Noite Preta aqui na TWRJ, A fila chegava na Rodrigues Alves. Quando eu desisti de achar o final da fila, eu simplesmente me embolei na muvuca do começo e furei lindamente. Foi a única alternativa para não perder a minha noite. Mas depois dessa nunca mais fui na Noite Preta da TW.
Vai ter outra no domingo dia 11. Estou considerando dar uma 2a chance, depois de tantos meses.

beto disse...

nisso sou turrão.
fique com seus princípios. o Sonique e o Café com Vodka certamente acabarão um dia. Os princípios... bom, eles deveriam ser para sempre, se são realmente princípios.

eu peguei implicância mortal do Sonique quando eles cobravam mais de homem do que de mulher para entrar. Como assim, uma casa cheia de viado cobrava mais pro público que pagava as contas da casa? Não fui na festa de aniversário de uma amiga lá por causa disso.

mas só eu peguei a implicância... o público gay é ótimo para se indignar com Doritos, mas a necessidade de estar no-lugar-certo-na-hora-certa fala mais alto para muita gente.

e, concordo com os comentários aí em cima. A culpa é da casa e do promotor da noite que deixa isso rolar. Só falta eles darem uma de "não-sabia-não-tinha-idéia".

Eles até tem o direito de fazer os idiotas esperarem no sereno (a noite é deles, entra primeiro quem eles querem), mas cabe ao público deixar de ser idiota e não se sujeitar a isso.

E, sorry, mas atirar meia pedrada me pareceu condescendência por não sei qual razão.

Introspective disse...

Rubem e Beto, amigos da vida real: não entendi a parte do "morde e assopra" e da "meia pedrada". Acho que escrevi um post bastante claro e direto, sem mensagens subliminares ou pela metade. E tenho certeza de que ele chegará aos interessados, se é que já não chegou. Não vejo onde pode ter havido condescendência nas minhas palavras. Agora, quero realmente saber o que meus leitores acham disso tudo. Vai que de repente o deslocado no tempo e no espaço seja eu... já que não tenho visto mais ninguém que pense assim.

tommie carioca disse...

Esse texto joga a luz um pouco na perspectiva de quem produz uma festa, serve ao menos como um ponto de vista: http://lalai.net/2008/09/02/vip-very-important-person/

Patrique disse...

Eu também ODEIO gente que fura fila. Já deixei de entrar em alguns lugares aqui no Rio por causa disso. E os seguranças das casas que supostamente estão ali pra impedir isso, na maioria das vezes fazem cara de paisagem. É foda.

Quanto à 00, eu costumo ir lá aos domingos, e nunca passei por isso não. É um dos motivos de eu gostar tanto de lá!

Marco de BH disse...

Querido, posso compreender sua indignação. Essa rotina das casas noturnas priorizarem a entrada de alguns clientes (os ditos vips) seja através de cartões, filas, listas, pulseiras ou mesmo "carão" tem uma lógica naturalmente controversa e perversa. É normal e oportuno para "os selecionados" e supermegaultrarevoltante para os demais. Oferecer descontos, brindes e espaços privilegiados aos habituées da casa é mais aceitável e teria até uma razão comercial. Mas o acesso à casa deveria ser pautado pela ética e pelo democrático direito de ir e vir, ao se respeitar a ordem de chegada e a segurança de todos. Mas, meu amigo, não conte com isso. Por via das dúvidas, para evitar constrangimento, revolta, culpa, raiva, vergonha e outros "sentimentos conflitantes", sugiro o óbvio: chegue cedo, faça como os mineiros e não perca o trem! Afinal, "cavalo que chega cedo bebe a água limpa." hehe Aproveite para jogar um pouco de conversa fora, enquanto as pessoas vão chegando. Espie um pouco. Se necessário, pegue seu celular e ligue para aquela tia querida com quem vc não fala a anos. Sei lá, escreva um post, azare o barman, tire uma soneca... rsrs O importante é não passar nunca mais por esse stress da entrada!!! hehe Agora, reze para a casa já estar aberta quando você chegar, viu? Outra situação chata pra burro é chegar cedo, a casa demorar a abrir e a fila começar a crescer para os lados (ou a "engordar" como dizemos por aqui). Nem sei o que é pior nesse caso, se é presenciar sua entrada ir ficando a cada momento mais distante e improvável, ou estar no começo da fila e, de repente, um amigo ou um conhecido chegar com uma tropa e engordar a fila do seu lado. Ai que vergonha, mas fazer o que nesse caso? Fingir de múmia? Ou bancar "o chato neurótico" e perder o amigo? Mais dúvidas sobre o tema!!! hehe Nuh, viver é mesmo muito complicado! kkkkkkk Abraçooo

uomini disse...

*Elas* precisam ser importantes, nem que seja apenas na porta da *buati*. Na boa, amigo? Acho que vc deveria ter acessado seus contatos e entrado, sim! Acho, inclusive, que isso faz parte da brincadeira...

Ivo disse...

Personalismo. Homem cordial. Democracia, no Brasil, é um grande mal-entendido. Sérgio Buarque de Holanda escreveu isso nos anos 1930. Infelizmente, ele continua muito atual.

Marco de BH disse...

O texto proposto pelo Tommie Carioca, ao mostrar a perspectiva dos donos da casa ou dos produtores da festa, amplia muito a visão do problema. Refletindo mais sobre o tema, percebi que o dilema deles muitas vezes não é diferente do nosso, quando um amigo nos encontra numa fila, nos cumprimenta e quer entrar com a gente e antes dos que haviam chegado primeiro!! O fato é que a causa de mais esse problema é mesmo nossa idéia equivocada e imatura de que somos melhores do que os outros e que temos que levar vantagem em tudo (como você bem disse)!!! "Xô egoísmo"!

Geo disse...

Thiago... ai esta um tipo de realidade que e visto como aceitavel no nosso pais. As vantagens, e o que ela pode proporcionar.
Sou recem formado em medicina e estou trabalhando em uma Unidade de Saude da Familia, lidando com esse mesmo tipo de realidade: fazer o certo, tentando ajudar os outros ou simplesmente nao ligar e garantir meu salario no final do mes?
Tive oportunidade de conhecer lugares onde todos fazem o que deve ser feito. Sem vantagens, pois todo o sistema e sociedade funciona de uma maneira rapida, transparente, limpa.
Cheguei a conclusao que eu penso diferente das pessoas da nossa sociedade, do grupo onde eu vivo. Devo aceitar que eu tenho um pensamento diferente ou simplesmente lutar pelo que eu acredito. A unica resposta que eu consigo encontrar seria mudar para um lugar onde pessoas tem a mesma maneira de ver a vida....

marcelo alabarce disse...

Ja passei pela mesma situacao no Sonique. Depois de 40 min na fila, numa quarta feira, eu desisti!

Eu era o 1 da fila, achei que fosse entrar e aconteceu exatamente o que voce narrou: todas as pessoas iam entrando.Ou era aniversario de alguem, ou tava na lista X, ou na Y, ou conhecia o dono, etc!! Fiquei puto de raiva e fui embora!

E eu me lembro, que na semana de inauguracao do Sonique, o gerente me disse que ia ser um estabelecimento diferenciado, sem filas e o pior - sem consumacao minima!

quem diria hein.

voce esta mais do que certo nas suas palavras!

CARIOCA VIRTUAL disse...

Bem, eu nao sou o tal ex-blogueiro famoso, mas confesso, perdi a hora, cheguei com a fila enorme e usei SIM meus contatos para entrar. Mas se meus contatos não funcionassem, teria ido embora. Na verdade, falei isso com amigos que estavam comigo que se não desse certo, TRANQUILAMENTE, iria para casa, afinal, o ERRADO era eu de estar chegando tao tarde num local pequeno, hype e que EU SEI que enche rapidamente.

Não me sinto mal com isto, na verdade, não vejo isto da mesma maneira que a maioria. NA VERDADE NO PASSADO JA ACHEI MUITO ISTO, DEPOIS RELAXEI. Sempre busco chegar cedo nos eventos badalados e evitar constragimentos, principalmente qdo sei que não terei nenhum contato que me salve caso eu cometa este pecado. Ex.: ao ir a The Week sempre chego cedo para evitar filas, embora eu odeie chegar cedo nos lugares; no Sonique eu evito chegar tarde seja na quarta ou no dia do Cafe, afinal, apesar de ter contatos, morro de vergonha e as vezes a cara de pau nao me cai bem...mas neste domingo caiu!

E este problema de gente furando fila não eh exclusividade do Sonique, dos gays, do Brasil, ou seja la de onde for, é o que mais acontece em qq lugar que seja um sucesso... e a gente que qdo tem principios e/ou não tem contatos (ou não quer usa-los) simplesmente chega cedo e pronto...


Obs.: imagino que estava puto com a demora da fila, mas seja um pouco mais educado quando for te cumprimentar, não tenho culpa do ocorrido e fui ser muito gentil como sempre contigo, então espero ter de um amigo o mesmo retorno de gentileza, como sempre o teve comigo. Bjs e relaxa! Guarda a furia para escrever tao divinamente como escreve sobre assuntos mais importantes.

China disse...

Thiago, lembro-me de vc já ter feito isso ao menos uma vez. Num post sobre vingança... Vc estava em Salvador numa fila quilométrica qnd um amigo seu lhe chamou pra entrar direto, sem amargar horas na fila... Estou certo? Se sim, qual a diferença nessa situação? Será q é só pq vc não foi beneficiado?

Quanto a mim, embora tenha conhecimento na maior parte dos lugares q frequento aqui no Rio, 99% das vezes não preciso, pois SEMPRE chego tarde nos lugares por infinitas razões. Mas se não fosse o caso, esperaria numa boa na fila, de verdade... Mas na sua situação é complicado msm... Esperar não é o problema, o problema é ser feito de otário... ficar como um anjinho na fila enquanto um bando de gnt q chegou depois de vc entra primeiro por razões obscuras... Pelo q me conheço, deixaria de frequentar o lugar... Complicado...

Duda Hering disse...

Querido, olha só, nao é questao da casa nao estar tao lotada e querer deixar gente na fila, acho horrivel fila mas na ultima ediçao a casa ficou cheia demais e reclamaram que o bar nao deu conta , entao decidimos fechar quando a lotaçao da casa chegasse a certo numero de pessoas , e assim fizemos, quem estava la dentro nao reclamou mais da espera de 20 minutos no bar como ocorreu na ultima ediçao.
Desculpa a espera na fila e pode ter certeza que isso nao é marketing.
Abraço

Anônimo disse...

Mesmo com a resposta do produtor, eu só perdoava ele se ele me levasse pra cama. hehehehe. Aí ficaria tudo no passado.

Introspective disse...

Carioca: Não precisava me dar satisfação não... o ex-blogueiro não era você! Era um outro colega nosso, que entrou pouco antes de vc sair. E eu estava muito puto mesmo (vc viu, né). Posso não ter feito festa pra vc, mas também não lembro de ter sido grosso com você. No mais, achei curioso vc transferir a culpa para mim, por ter chegado às 20h30. Veja bem, eu não me queixei de pegar fila simplesmente, sempre fui muito paciente com isso. Mas sim de ter sido feito de trouxa. Se eles tivessem respeitado a ordem de chegada, em 15 minutos no máximo eu teria conseguido entrar.

China: Pois é, o problema é justamente ter sido feito de otário por tantas pessoas e por tanto tempo. Em relação àquela noite no finado Miss Modular em Salvador, reconheço que foi uma das pouquíssimas vezes na vida (pra não dizer a única!) que eu passei na frente dos demais, e minha atitude não foi mais correta porque o beneficiado fui eu. Mas devo dizer que não pedi para ninguém me tirar de lá: foi o próprio host da casa que me chamou, sem que eu tivesse tomado qualquer iniciativa para isso (e me pegando de surpresa, já que eu nem sequer conhecia a casa). Eu teria esperado a minha vez numa boa, como sempre fiz das outras 87654 vezes.

Duda: Obrigado por ter vindo me responder. Vc foi gentil, mas sua explicação não me satisfez. Se vc resolveu fechar a casa para dar mais conforto aos clientes, ótimo, mas isso deveria ter valido para todo mundo - inclusive para os seus amigos. Não foi isso que aconteceu: o Sonique só estava "lotado" para quem havia ficado em pé na porta por uma hora e meia. Já os espertinhos e íntimos-de-oliveira entraram sem problemas quando bem entenderam, e você sabe disso (até porque apareceu na porta várias vezes). Até entendo que existam pessoas com as quais vc queira/precise ser simpático e dar uma atenção extra por diversas razões, mas, se para fazer a fina com 15 vc precisa desrespeitar 180, me desculpe, mas parece que vc está dando um tiro no pé! Sugiro que repense isso nas próximas edições do seu projeto.

Duda disse...

Querido, olha só, a casa ja tava cheia, ja estava no limite, varios amigos nao entraram e eu nao sou dono dali , tive que brigar pra por 20 pessoas minhas conhecidas porque ja tava na lotaçao maxima,agora quero que se coloque na minha situaçao amigos meus me ligando e pedindo pra entrar , o que voce faria.
Concordo super deselegante passar pessoas na frente , ate agora todas as criticas foram ouvidas e to tentando resolver da melhor maneira possivel,pode ter certeza que botar uns 20 conhecidos pra dentro nao foi de maneira nenhuma querendo prejudicar quem estava na fila. Vou ver como resolver esse problema.

Tony Goes disse...

Eu sou o amigo que o Thiago cita no post. Fui eu quem se ofereceu para chamar o Duda, e sou eu quem vai comemorar o aniversário no próximo Café com Vodka.

Não tem nada pior que fila que não anda. Aliás, tem: fila que não anda que é furada por VIPs. Já fiquei furioso muitas vezes com isto. Houve até uma ocasião em que fiquei mais de uma hora tentando entrar na TW Rio, em vão. No dia seguinte fiz um post detonando no meu blog, muita gente me apoiou. Depois comnversei com o André Almada, ele me explicou o que estava acontecendo, e agora vejo no caso do Duda como o sucesso pode se tornar um problema.

O Sonique tem uma lotação de 400 pessoas. Se este limite é ultrapassado, o ar condicionado não dá conta, o bar fica impraticável, o banheiro fica imundo e sai todo mundo falando mal. Fora que a Prefeitura pode multar... O Café com Vodka virou um sucesso, todo mundo quer ir. O chato é que todo mundo quer mais ou menos chegar na mesma hora, depois das 7 da noite. A casa já percebeu isto, e por isto os convites VIPs só valem até esta hora. Mas não adianta: o povo continua chegando mais tarde, em SP "pega mal" chegar cedo (no Rio menos). E VIP é um fenômeno que acontece em qualquer lugar, até no Vaticano (aliás, principalmente no Vaticano) vai ter VIP furando a fila. Por isto que a TW criou uma entrada só para eles: assim o povo "normal" não fica furioso quando a fila é furada. É um problema, e o Duda está aceitando sugestões. Ninguém quer tratar mal o público.

Thiago, da próxima vez chegue cedinho, ainda mais porque sou eu quem vai tocar (num "back-to-back" com a Marina Person). Você é VIP lá, poderia ter furado a fila, mas, se é uma questão de princípios, chegue cedo, e vamos todos nos divertir.

Beijocas

Anônimo disse...

DUDAS, TONYS, falaram, falaram e não resolveram nada... até sugeriram para vc chegar mais cedo!!!!!, eles vão continuar chegando a hora que quiserem, pondo quem quiserem pra dentro e casa vai continuar bombando, alguém que esta lendo isto tem alguma dúvida????!!!Querido, embora vc tenha principios, se quiser frequentar certos ambientes utilize-se dos seus contatos, senão vai ter que chegar cedo e "esquentar" a casa para os VIPS !!!Desculpe a sinceridade, acho lindo uma pessoa de principios, mas infelizmente para frequentar alguns locais, vc terá que abrir mão de alguns deles, ou optar por deixar de frequenta-los.
Abraços.

beto disse...

esse seu texto rendeu! acho que rende outros textos interessantes.

sobre a meia-pedrada, te respondi por msn, mas acho que aqui nos seus comentários a coisa ficou mais clara.

é inevitável um lugar de sucesso ter filas (quanto mais em SP, pois ou lota ou fica às moscas, não parece ter meio-termo!)... e normal ter ALGUMAS pessoas que passem na frente da fila por algum motivo.

mas tem um certo instante mágico que isso passa do aceitável para o inaceitável, a gota d'água. a maioria acha normal passar um ou outro na frente, é a realidade da noite, mas tudo tem limite. Ou se é uma festa aberta para o público em geral, ou é uma festinha para amigos e aí fodam-se os outros.

o que diferencia uma boa casa/produtor/hostess/quem quer seja que controla a porta é justamente saber administrar essa tensão com charme. faz parte do profissionalismo da noite.

pois às vezes se agrada 2 ou 3 amigos e se desagrada 50 pessoas na fila. E essas 50 vão falar para mais 10 cada uma... 1 cliente insatisfeito gera muito mais propaganda (negativa, no caso) do que um satisfeito.

soluções para a casa? já vi festas terem que mudar para lugar maior, ou aumentar a frequência do evento. Ou usar do bom capitalismo e conter a demanda aumentando o preço, já que não pode aumentar a oferta. Ou a solução TW que o Tony mencionou para fazer essa furação discreta.

Para o potencial cliente? Como muitos falaram, chegar cedo - se o lugar é um que realmente te interessa. Faço isso no Spot, ou chego antes das 21 hrs ou não vou... pois esperar 2 horas para sentar tá fora do meu universo. No auge da Loca às quintas (agora melhorou), era mágico chegar 5 para meia-noite, sem fila... 15 minutos mais tarde a fila chegava na esquina. assim contornamos a coisa dos princípios, pois não sei se vale a pena queimar princípios por causa de uma festa/balada.

Tiago disse...

Querido, sou muito parecido com você, já até conversamos a respeito disso quando fui "barrado" em Berlim. Também fico doente de raiva quando algo do gênero acontece comigo. Os promoters e donos sempre tem uma desculpa, claro, mas convido-os a colocarem a mão na consciência: será que todas esses "amigos" são realmente "amigos" que valham a pena a queimação toda? Na minha opinião, priveligiar apenas VIP's, que em geral não pagam nada e muitas vezes consomem "na faixa", em detrimento de quem está ali para gastar seu dinheiro, é uma política duvidosa. Amigos mesmo, pra valer, sempre entendem que a casa está cheia, que você está ali trabalhando, e não na sua casa. Já esses outros que se dizem "amigos VIPs" em geral são os primeiros a atirar pedras quando a coisa começa a degringolar. Já cogitei muito deixar de ir a certos lugares, mas nem sempre isso funciona: como você disse, há sempre algum amigo comemorando o aniversário, um outro de fora querendo conhecer etc. Acho que a dica mais acertada dada aqui é a de chegar cedo. Não vejo nenhum problema nisso, como alguns cogitaram aqui, de "esquentar lugar para VIP". Se você levar um amigo para te fazer companhia ou combinar de encontrá-lo lá no mesmo horário, é até uma boa oportunidade de colocar o papo em dia, antes que a conversa fique impraticável.

Anônimo disse...

Darling,
Esse seu post é um sério candidato a mais comentado do ano. Acho que não se trata de uma interpretação da Lei de Gérson, mas de um "fundamento da balada", assim como o carão da hostess, a lista da banda, mulher/homem bonito ter acesso ao camarim em show, ser barrado por não usar o dresscode.
Todas essas coisas podem causar indignação em quem não faz parte do grupinho e, muitas vezes, acho que é justamente a mística criada em torno de ser vip que atrai uma leva de gente para as baladas.
Achei que vc pareceu muito indignado ao comparar a atitude daqueles que furaram a fila com a de certos políticos. Concordo que é equivalente a algumas atitudes, como distribuir passagens áereas para amigos e famílias, mas não significa uma falha de caráter irrecuperável e inadimissível. As pheenas tem defeitos muito piores que este. O preconceito com os outros gays, de diferentes tribos, é o mais grave, naminha opinião.

Beijos,
Cris.

Lindinalva Zborowska disse...

chegue cedo!! Aí não curta a mágoa de cabocla... Aviso isso há ANOS. Mas vc acha que sabe tudo da noite, baby, pq um "amigo" disse pra vc chegar 8:30h, vc chega!! Um beijo e me liga, fio!!

Anônimo disse...

Bom mesmo é ter na porta um cara que fica escolhendo quem entra, se te achar coll, bonito e transado entra, se te achar feio e cafona não entra. Simples assim. Garanto que as filas vão AUMENTAR!!!!

Anônimo disse...

Simplesmente não vá. Seria ético se avisassem que a casa está lotada e não dessem esperanças aos que estão na fila. Estão usando a fila como propaganda. Se você tem prestígio, use-o para prestigiar e incentivar novas descobertas, afinal as opções são poucas e tudo acaba virando uma panelinha.
Quando vira moda já perdeu a graça. É partir pra outra e estar a frente dos acontecimentos.

Anônimo disse...

No buraco onde eu moro (é capital mas é buraco) tem um sistema diferenciado, que meio que ameniza a situação...

Existem os VIPs, claro (são tantos que eles tb ficam em outra fila, bem menor, mas ficam) mas se vc quiser pagar mais caro pelo ingresso VIP (sim, eles tb são vendidos) você não tem q ficar na fila "comum".

E outra, quem consome muito ou é habitue da casa (os dados ficam cadastrados) ganha vários mimos mesmo sem nunca ter olhado a cara do produtor ou trocado duas palavras com a hostess... Tem direito a usar a fila "VIP", cortesias, estacionamento privado etc.

Embora não seja um sistema perfeito é muito mais justo do que deixar um monte de VIP's, que muitas vezes passam a noite tomando uma coca, encherem a casa no lugar das pessoas que realmente trazem lucro p/ empresa.

Mas qd estou em SP eu chego cedo mesmo, pq eu não sou ng na noite. :-)

Caio Velazquez disse...

Acho engraçado... ando bastante por lugares ditos hypados, sofisticados, frequentados por endinheirados e famosos. Isso desde a faculdade, frequentada pela jeunesse dorée do país. Convivendo com essas pessoas, aquelas que valiam a pena, aprendi que quem é, é em qualquer lugar e só é porque fala bom dia, obrigado e por favor para o limpador do banheiro e para o Henrique Meirelles no mesmo tom e olhando no olho. As finas da boate são finas na quarta/domingo no Sonique e no sábado na The Week. No resto da semana conto nos dedos quantas já vi pela cidade a fora. O melhor é ser Thiago em todos os lugares que frequenta - honesto; educado; imperfeito; aberto a mudanças e querendo viver experiências sejam elas furar a fila ou não.

eri disse...

querido

seguinte, faz um tempo que entro no seu blog nas minhas pesquisas internéticas e eu te digo: o SONIQUE é O ERRO! Okay, a casa é hypada e tem lá seu lado bom, mas eu já fui lá duas vezes (inclusive uma delas eu estava fazendo uma cobertura do lugar) e simplesmente odiei. A fila sempre é o principal motivo, além do staff mal educado da casa e do péssimo atendimento do bar (foram rudes com uma amiga minha sem motivo). Sinceramente, acho que o lugar não é legal e eu deixaria de ir lá numa boa. Creio que quando um lugar nos causa o mal estar que a casa te causou não é uma boa para se divertir, concorda? Abs

Vítor disse...

Thiago, como disseram por aí, acho que isso tudo faz parte da noite. Os produtores (e demais envolvidos) vão sempre querer que seus amigos (ou seus convidados por motivos profissionais) estejam na festa em detrimento de estranhos.

E nem acho isso absurdo. Eu vejo diversas festas que fazem sucesso de uma hora pra outra e que, em virtude disso, passam a ter filas intermináveis. Quando isso rola, acho razoável que aqueles que sempre frequentam outros eventos daqueles mesmos produtores tenham prioridade para entrar. Geralmente, são essas pessoas que fazem a noite, por mais imbecil que pareça essa frase.

Eu mesmo canso de furar a fila quando a festa é feita por amigos meus. Da mesma forma, quando tem uma fila enorme e eu não conheço ninguém da produção (ou similares) (p.ex. Galeria), sigo o protocolo: testo minha paciência e espero, ou tomo logo outro rumo, sendo que a segunda opção acaba sendo bem mais comum.

Levar a sério demais essas coisas, na minha opinião, só desvirtua o principal objetivo da noite, que é a diversão.

Bjs!

Felipe disse...

Olha, eu cheguei bem cedo e por acaso. Sou relativamente novo na cidade e nao sei quem é quem. So sei que existe uma imensa vontade imensa de voces todos de pertencerem. Todos querem ser amigos das mais bonitas, das mais ricas, das mais badaladas, das mais frequentadas. Todas voces estao buscando a validacao de seu proprio ego atraves da aprovacao de seus amigos gays e ricos.
Se nao gostam das "phynas" nao frequente o mesmo lugar que elas. Se a fila ta cheia, troque de bar. Nao tem razao sofrer mais de 20minutos em qualquer fila so para depois escrever um post, um twit, postar uma foto dizendo que estava num lugar bombante.
Voces devem ser melhores e maiores que isso, nao devem? Voces nao precisam de dudas, de almadas, de quem quer seja para serem felizes. Olhem para o que voces tem e conquistaram, nao para o que nao tem.
Enquanto nao fizerem isso continuarao sendo um bando de bicha paulistanas magoadas porque nao sao consideradas VIP por alguem.
Muita luz para voces, amigos. Voces merecem e precisam.

A&F disse...

Thiago, vc esta coberto de razao..
o que falta a maioria dessas bichas eh uma coisa so:

BOAS MANEIRAS E EDUCACAO CIVICA...

a comecar pelo produtor que nao cumprimenta os frequentadores ...

Rica e influente disse...

Pq nao foi pra Cantho? Alias nem sei se ela abre no domingo pq sou Phyna e muito bem relacionada. Ah, e viajada (adoro essa palavra). bjs

Lupe disse...

Oi, Leio seu blog com freqüência, embora seja a primeira vez que deixe um comentário. Confesso que sua pergunta me estimulou. Acho que a expectativa de nenhum lugar merece tanto assim de seu precioso tempo livre. Além disso, tenho comigo que encontrar a harmonia é sempre a chave, neste ou nos séculos anteriores. Descobrir o pedaço do mundo que está em harmonia com você pode ser tarefa de uma vida. É ótimo procurá-lo. Grande abraço, Lupércio

Diego Ricardo disse...

Opa Thiago

Como eu te disse por torpedo, é por essas e outras que a noite não diz muita coisa pra mim.

Impensável ficar 1 hora e meia numa fila pra entrar em boate, seja ela qual for.

O mais perto que passei disso foi no Galeria mesmo, aqui no Rio, quando em algumas ocasiões havia essa questão da galerinha amiga de não-sei-quem entrando direto. Ultimamente ou não tem acontecido, ou eu q tenho chegado mais cedo (ou bem mais tarde).

Quando aconteceu, embora eu tenha ficado muito puto, a fila normal não demorou muito tempo pra entrar afinal, verdade seja dita. Por isso, esperei.

Mas tenho uma regra muito clara pra essas coisas: se chego ao local (e no próprio Galeria numa sexta já aconteceu isso) e a fila está dando a volta na esquina (nesse dia estava na Prudente de Morais, virando já) eu simplesmente não fico. Até porque - e esse é um ponto que vc não enfocou no seu post - mesmo que a tal fila quilométrica andasse rápido, o Galeria (como parece ser esse Sonique) é um local PEQUENO e eu não vou me sujeitar a ficar sendo esmagado lá dentro, sem poder andar direito. Não vale pagar a entrada pra isso, se nem chegar ao bar ou ao banheiro vc vai conseguir com calma. Então, ou vou pra outro lugar ou volto pra casa. Tranquilamente.

TW Rio eu fui uma vez na vida e não compartilho desse hype todo criado em volta. Acho cara a entrada, longe pra caralho, numa área cujo entorno é perigoso (vc só pode ir e voltar de carro ou de táxi, basicamente) e tb não sou adepto de hordas de gente suada em cima de mim. Então, ainda mais com essa questão de fila, prefiro ir pra outros locais.

Não se iluda: gente VIP que entra na frente dos outros sempre vai ter mesmo, como já mencionaram aqui.

Mas acho que a solução perfeita seria, pra casa que quisesse resolver essas questões, como um de seus leitores sabiamente comentou, um desconto no preço pros VIPs ou alguns drinks de graça e não uma preferência de entrada.

Porque permitir que VIPs entrem primeiro, além de fazer os normais esperarem mais na fila, muito mais, pode inviabilizar o divertimento dessas pessoas que pacientemente esperaram ali na calçada: a casa pode ficar lotada e a produção pode decidir que não entra mais ninguém, como parece ter sido o caso desse Sonique.

Isso, sim, é o maior desrespeito com quem esperou numa fila. Vc perder 1h e meia e não poder entrar. E aí não tem outra: é culpa da produção mesmo, porque ela privilegia alguns não só no acesso ao espaço, mas na oportunidade de usufruir do mesmo naquele dia.

E este, claramente, é um direito de todos, que não pode ser prejudicado porque A é amigo de B.

Anônimo disse...

Thiago concordo em absolutamente tudo e não é querer botar lenha na fogueira mas vc teria que ter feito um post direto criticando o produtor Duda Hering SIM! Se ele gosta de aparecer em fotos estampando no rosto o sorrisão-simbolo do sucesso de seu projeto também pode fazer a cara feia que quiser quando receber criticas como a sua... não interessa... se é pra comemorar comemore, se é pra resolver PROBLEMAS sérios como este resolva! Tive o mesmo problema que vc, tb parto do principio de que todos devem esperar na fila e assim o fiz. Mesmo sendo BEM conhecido do produtor pois nos cruzamos a alguns meses num famoso "clube" a uma quadra abaixo dalí não me utilizei deste "contato" para entrar. E enquanto estava na fila tive essa feliz idéia... pra quer ficar aqui? plantado igual otário se eu posso andar 100 metros e chegar no lugar onde não tem filas, tem bebida gelada igual no Sonique e pessoas muito menos carão, descontraídas e bem interessantes ou até mais interessantes quanto o famoso produtor desta festa? Conclusão? Acordei do pesadelo daquela fila 40 minutos depois, andei meus 100 metros rapidamente, me divertí bastante naquele famoso e agradavel clube e voltei pro meu ap as 2269 ou 23:09 rs afinal domingo é domingo e pra mim a ultima vodka já tinha descido a horas! Fica a dica querido, afinal inteligente e muito eu sei que vc é e apesar de vc não ter sido direto na critica parabens pelo post! Obs.: Além de mim, muitos "cafes-c/-vodka" da fila seguiram a mesma trilha que eu e acho que ninguem se arrependeu! Bjs! DIEGO ALLEZ.

Marco disse...

Dá próxima vez utilize o heliponto...

Brincadeiras a parte, acho que é uma questão de completa falta de bom Censo, com C mesmo, do promotor da festa e coió-te atravessador, afinal você não foi o único a sair (ou seria deixar de entrar ?) reclamando, e nem toda fila em si é propaganda positiva...

TIME IS MONEY, quem não tem a necessidade urgente de frequentar o(s) lugar(es) onde todas (as que importam evidentemente) vão, sem exceção - o que não é o caso deste blogueiro acredito eu - teria sacado seu bom Senso e deixado a fila após os primeiros 30 minutos de molho por parte do descaso do(a) promoter.

Acho que este post mexe no cerne de uma questão cultural nossa bem séria, o famoso "SABE COM QUEM VOCÊ TÁ FALANDO?" que aqui prevaleceu sobre o necessário e quase extinto "QUEM VOCÊ PENSA QUE É?", de novo.

TENHA UM PLANO B, já que manga e leite não são venenos mortais per supuesto.

Anônimo disse...

Thiago, sinceramente, não foi agradável o que aconteceu com você, mas creio que você exagerou no tom da sua crítica e apenas abriu espaço aqui para que alguns despeitados passassem a ataques pessoais a quem acretito não que não os mereça - basta ler a quantidade de besteiras que vai aqui em cima, contra a pessoa do Duda.

Primeiramente, há um dado que você não diz no seu texto: você é amigo pessoal do Tony Góes e freqüenta a casa dele. Ou seja, você freqüenta a casa do Duda Hering, produtor da festa - não é portanto nenhum anônimo perdido na multidão para quem organiza aquela balada. Desculpe aí, mas acho que essa informação ficou faltando.

Você poderia portanto ter acesso à organização da casa, por conta de seu relacionamento pessoal para duas coisas possíveis e não excludentes: ter entrado sim de forma personalista, pois é amigo do "pai" do promoter e também ter feito chegar de imediato aos ouvidos do mesmo a reclamação do que estava acontecendo - ou seja, você tinha condições mais eficazes do que o restante dessa mesma fila, para queixar do que acontecia.

Quando algo nos revfolta, existe um tempo próprio para colocarmos a indignação para fora. Sua opção, porém, livre e consciente, foi não ter apelado para nenhuma das duas soluções (que não se excluíam). Depois, muito mais tarde apenas, resolveu mostrar indignação de forma muito açodada por aqui - mas aí, já estava um tanto tarde, afinal, o seu tempo não será devolvido - ao passo que você tinha como tê-lo aproveitado bem melhor, simplesmente se o quisesse - e não precisaria abrir mão de princípio algum, caso chegasse a quem de direito para não apenas pedir o seu lugar, mas reclamar o tratamento que os outros todos também sofriam.

Mas mais me parece que aquilo porque você optou foi é por um pouco de masoquismo e mais tarde canalizou sua revolta de forma exagerada e apenas abriu o espaço para um monte de gente invejosa destilar a bile.

Introspective disse...

Anônimo de cima: Entendo que o meu blog é um canal bastante apropriado para esse tipo de discussão. Primeiro, por ser um espaço que mantém a conversa em um nível bastante civilizado, com leitores que, na maior parte das vezes, enriquecem os temas com seus comentários. Segundo, porque eu sabia que os interessados - incluindo o próprio Duda - leriam e teriam a oportunidade de se manifestar, se assim o quisessem, como de fato quiseram. Terceiro, porque não me foi dada a possibilidade de discutir esses problemas "in loco" na hora, a menos que eu resolvesse me beneficiar de meus contatos pessoais para obter um tratamento diferenciado dos demais, que é o que vc está sugerindo no seu comentário. No entanto, me parece justo que todos os clientes da casa tenham um tratamento equivalente e digno - mesmo os que não sejam tão próximos do Tony e do Duda como eu.

No mais, não posso ser responsabilizado pela inveja de outras pessoas, em relação ao Duda ou a quem quer que seja. Até porque, como eu já disse mais acima, o nível do meu post não incitou nenhum tipo de ataque pessoal - muito pelo contrário, foi uma oportunidade para que o Duda - e, por que não, outros produtores de festas - tivessem um importante feedback que poderá ajudá-los a melhorar os seus projetos.

Anônimo disse...

Depois de tudo isso ae de cima e com certeza aqui de baixo existe alguma dúvida de que o Café com Vodka é mais hypada e concorrida noite da cidade? Eu se fosse vcs ia p/fila A G O R A !!!

Anônimo disse...

Definição de VIP?
Viado Impossibilitado de Pagar.
Aqui no Brasil todo mundo se acha importante demais. A-do-ro quando alguem ainda fala "sabe com quem está falando?".
Seria muito legal que as ditas VIPs fossem a outras instancias, como Ibiza, NY, Londres.... e dessem uma olhadinha em como funcionam os locais mais badalados. Local badalado é onde encontramos gente interessante e nao gente que se acha importante. Mesmo pq, que importancia as VIPs tem alem do microscopico mundo que elas vivem?
Alerta meninos..o mundo é muito maior que São Paulo e não se resume a The Week no sabado e ao Sonique no domingo.
Educação e gentileza é que sao sinais de alguem realmente importante.

CARIOCA VIRTUAL disse...

Bem acho q TD isto teria sido esquecido se o Duda tivesse visto e puxado o Thi pra entrar. Descula Thiago, vc nem lembraria disto. Afinaleu lembro q por algumas vezes já furamos a fila na cia do Tony e Herbrt na TW. Mas parabéns vc conseguiu uma boa repercussão

Introspective disse...

Carioca: Não posso falar por você, mas eu nunca furei fila na TW. As (poucas) vezes que entrei com o Tony, entrei como convidado dele, pela FILA que é destinada aos portadores do cartão Black.

Memórias de uma bicha na bicha disse...

Para as que citam Ibiza e etc.
Todas as baladas que se prezam NO MUNDO tem lista VIP e lá como cá as bonitas tem prioridade sobre os mortais.
OH DIA! OH VIDA! OH AZAR!
PORQUE EU NÃO SOU UMA ?
Nunca vi uma passada de recibo tão explícita!Como disse a outra VAI P/BICHA BICHA!

Diego Torrecilhas disse...

Thiago... você sabe muito bem que mais de 1h30 na fila só se for pra entrar no Berghain/Panoramabar! Lugar que vale a pena e que as pessoas que furaram a fila NÃO vão entrar, não sei como descobrem, mas que sabem quem furou... isso sabem! Mesmo que a fila esteja no Weberwiese ou em Ostbahnhof.

Isadora disse...

Nossa, quanta polêmica!
Acho bem desagradável se valer de contatos para furar a fila. Constrangedor. Não sei se postaria no blog, mas não tenho dúvidas de que a melhor postura a adotar seria falar com o produtor da festa depois e fazer sua crítica. Como frequentador da festa, você tem todo o direito de apontar coisas desagradáveis. Quanto a mim, gostaria de dar um abraço no Tony, na próxima. Como de hábito, chego cedo. Se tiver fila, vou embora, já com algum plano B. Simples assim.

beto disse...

Querida Isadora.
Triste é não ter os contatos p/se valer...

Matilde disse...

eles podiam distribuir senhas e chamar por um painel luminoso, tipo de praça de alimentação. assim ninguém precisaria ficar na fila. podia ficar ali pela porta, curtindo e conversando, tomando breja de isopor. nossa, se pegasse, nem daria vontade de entrar.

Douglas disse...

Thiago,

você é jornalista, não é? Pois bem, faz parte do exercício da profissão a denúncia, ainda que em tom de revolta e atingindo em cheio seus amigos. Mesmo pq poupar comentários por coleguismo seria totalmente questionável, não?

Aliás, isso aqui é um blog, oras! Para que servem mesmo os posts se não expressar a opinião de seu autor?

É claro que incomoda a muita gente suas palavras. Na web 2.0 é assim: um simples post levanta uma poeira danada, gera incômodo, provoca mudanças ou pelo menos tentativas. O ditado é velho, mas sempre preciso: errar é humano, permanecer no erro burrice.

CARIOCA VIRTUAL disse...

Perfeito Isadora!

E Thiago: o cartao Black por si só ja não seria uma vantagem sobre os mortais? Enfim, regrinhas da noite que vc diz conhecer ao redor do globo e que vc ja deve saber, ora que conhece, que é assim e não vai mudar. Acho o Sonique o melhro lugar no momento, sempre chego cedo e o dia que nao conseguir entrar, ficarei muito chateado, mas irei embora para um plano b, como bem disse a Isadora, ou para casa mesmo.

Agora o que mais achei irritante nestes cmentarios foram as pessoas falando de alguem que nem conhecem, ou seja, as mesmas preconceituosas de sempre, a mesma historia de sempre: quem entrou ficou feliz, quem ficou de fora reclamou, a diferenca eh que qdo temos um blog e leitores podemos nos valer dele para reclamar. Eu fiz isso na minha epoca, comprei a maior briga e muita gente ficou contra, inclusive o Intro, so que eu nao tinha a entrada e a confianca que tenho com o Duda e que o Thiago tb tem. Acho que valia o post sim, mas valia tb uma ligada para ele no dia seguinte prum desabafo e assim evitaria que pessoas levantassem coisas falsas e absurdas sobre o Duda. E liberdade tem limite, deixa os comentarios abertos pra todo mundo vir aqui detonar era tb um artificio que eu usava simplesmente para criar esta polemica toda e fazer valer a minha crise.


O caminho está certo Thi, mas a pessoa que esta sendo acusada não merece, ate pq esta tao acessivel e aberto para ouvir.

Engracado que a The Week está lá, com a sua fila absurdamente enorme (TAMBEM UMA FALTA DE RESPEITO!), mesmo em dia que a casa nem chega a encher (como sabado passado que a casa tinha mei duzia e eu penei 50 minutos para PAGAR) e ninguem reclama de fato, poe o dedo de verdade nesta ferida. Talvez pq pague na area vip, e isto tb nao seria uma falta de respeito com os demais?

ééé, o mundo não é lindo e nem todos os dias os passaros cantam em nossa janela.


abs

Paparazzo Campinas disse...

Concordo plenamente com sua atitude. Os donos dessas boates simplesmente nos tratam como se fôssemos uma carteira cheia de dinheiro. Ou como enfeites de porta de boate. Em Campinas (Pride) sempre tem coisas muito parecidas com o que vc descreveu. Em Piracicaba (Edub) existe um respeito e uma rapidez que não se vê em outras casas.

Pegante disse...

O anônimo que se assina como Diego Allez só acrescentou mais um ponto para minha teoria que os donos da sa..., digo clube, a quase duzentos e setenta metros para baixo na Bela Cintra devem ter adorado o Sonique.
No início era porque o povo fazia carão no bar e, depois de ver que ia ficar tudo no 0 x 0 mesmo, desciam a rua para fazer o que muitos queriam realmente fazer. Até já coloquei um desses personagens num dos relatos do blog.
Agora nem precisam esperar as pessoas cansarem do carão. É só esperar cansarem da fila, e esses clientes ainda chegam com mais dinheiro para gastar.

Anônimo disse...

Cara, sinceramente, perceber que a fila não anda e ainda te deixam para trás e mesmo assim esperar por UMA HORA E QUARENTA MINUTOS... porra meu, tu ficou porque tu quis. Devia então ter reclamado na hora - ou pelo menos interpelado um segurança, hostess, o que for, sobre o que acontecia, nem que fosse só pra dar uma de joão sem braço - é isso que todo mundo faz quando isso acontece. Agora, virar as costas, ir pra casa e só por a macheza pra fora no conforto do lar,na telinha do pc, sem precisar encarar ninguém no cara a cara e ainda dizer que não tem nada a ver com as coisas que tão falando do tal promoter aqui no seu blog (porque o espaço é livre...) parece coisa de criança que joga pedra e depois se esconde embaixo da saia da mãe.

Anônimo disse...

Gente vou vender nessa fila.Essas q não andam é q são boas!

Anônimo disse...

a 269, uma quadra abaixo. tava bem mais animada e nao tinha fila.

Anônimo disse...

Aquí no Rio, tem que fazer que nem a Gilles na LB, todos são comuns e iguais na fila. Antes da TW abrir aquí, soube que até o Almada ficou na fila numa época de final do ano. E o Gilles nem aí para ele. Mas nos outros lugares e agora com advento da TW, só conhecendo os seguranças, com cartão black, o gerente...Lugar pequeno é horrível mesmo. Ou vc chega cedo ou conhece o dono da festa, e no resto beber e fofocar na fila. Adoooro.

Anônimo disse...

fila é sucesso babado e confusão!

Introspective disse...

Carioca: Parece que vc está confundindo o Introspective com o Carioca Virtual. Vamos deixar claras quais são as diferenças? Se você usava seu blog para criar polêmicas, exorcizar seus desafetos e alavancar sua promoção pessoal, me desculpe, mas eu não tenho nada a ver com isso - portanto, não queira me comparar.

Antes de mais nada: não estou atrás da "boa repercussão" pela qual vc me deu parabéns carregados de ironia, no seu comentário anterior.

Segundo: não estou comprando briga com ninguém, muito menos jogando o Duda na fogueira. Se, por algum motivo que desconheço, é interessante para você pintar esse quadro, criando entre eu e o Duda uma inimizade pessoal onde ela não existe, aí é outra história.

A insólita experiência que tive na porta do Café com Vodka, no meu entender, merecia ser comentada neste meu espaço pessoal. Achei um gancho muito oportuno para sugerir uma reflexão que na verdade é muito maior do que os limites do Café Com Vodka (era isso que eu esperava que os leitores debatessem). Isto não é uma simples lavagem de roupa suja virtual.

Se retratei em detalhes o que vivi na porta do Sonique, e que porventura envolveu ações ou omissões por parte do Duda, ele teve a chance de expor neste mesmo espaço o que ele achou que tinha a dizer, e continua podendo colocar aqui o que bem entender. Inclusive se manifestar sobre comentários de terceiros, se entender que é o caso.

Todo mundo sabe que os comentários do meu blog sempre foram abertos e a única coisa que eu censuro são ataques meramente pessoais, de baixo nível. Se para você, no seu blog, deixar comentários abertos era um "artifício" para "fazer valer as suas crises", mais uma vez, não me iguale a você! Não tenho a menor intenção de transformar o meu blog numa arena para barracos, esse tipo de ibope não me envaidece. Sinceramente, já tô bem cansado de comentar esse assunto, espero que todo mundo passe logo para o próximo.

Agora, se os eventuais comentários sobre o Duda não forem chulos e gratuitos, não cabe a mim censurá-los, até porque não tenho conhecimento suficiente para discernir o que é "falso e absurdo" ou não. Se você, na qualidade de amigo do Duda, acha que ele está sofrendo algum tipo de preconceito por parte de outros leitores e quiser defendê-lo, sinta-se à vontade. Eu tenho a consciência tranquila de que com minhas palavras não cometi nenhuma injustiça contra ele.

Em tempo, sobre a TW: será que ninguém reclama de fato? Eu mesmo aponto defeitos e coisas que me desagradam na casa, inclusive a fila para pagar, como aliás fiz no meu post recente sobre a Megga. Portanto, a carapuça dos "dois pesos e duas medidas" tampouco me serve.

Anônimo disse...

Também acho a 269 beeeeeeeeem mais a sua cara. Mas aposto que o aniversário do Tony será o bastante para seus tão propalados "princípios" virarem pó.

Introspective disse...

E quanto ao anônimo que me acusa de falta de macheza: este blog não é anônimo, boa parte das pessoas que me lê me conhece, e respondo por tudo o que escrevo aqui, inclusive pessoalmente e ao vivo, se for o caso. Ao contrário de pessoas como você, que vêm aqui querer dar lições de moral, mas sempre resguardadas pelo anonimato. Isso sim é falta de macheza.

Marcelo victorazzi disse...

Achei a festa ótima, gente bonita e som maravilhoso, bar funcionando, etc.

Não entendi por que essa bilu está reclamando tanto... Ela chegou 8 e meia, horário de pico!!! Onde ela achou que estava? Na fila da merenda do jardim da infância de Havana? Na fila de um mosteiro no Nepal? Na fila de onibus para cohab da Lindinalva?

E por que ao invés de esperar mais de 1 hora para resolver não entrar (e depois choramingar no blog e fazer pose de virgem da Basilica de Sacre Coeur), ela não reclamou na hora, questionou o segurança, telefonou pros "amigos" do blog, pro Duda Pai, pro Duda Filho, pro Duda Little, pro Duda Mendonça, enfim, alguém para salvá-la do marasmo da fila dos anônimos? será que faltou crédito no celular? será que ela não conhece ninguém? duvido!

Alias fila existe em todo lugar. Parece que ela veio de outro mundo ou nunca viajou, ou nunca saiu, ou nao sabe como funcionam as coisas.

Cito Dusek: isso é que dá querer frequentar! Ela deveria crescer, fazer algo de útil ou notável para sair da fila, ficar linda ou rica, ter "amigos", enfim, cair na real para o mundo tratá-la melhor... Ou então ir para Havana.

Gurizão disse...

Eu acredito que o trabalho de um bom produtor de festa é divulgar a festa a ponto que ela bombe pra cidade toda, convidar os amigos, é claro... mas a festa não é para os amigos. Se os amigos forem, que bom, entrem na fila, oras! Duda, 20 amigos pediram pra entrar? E as 20 pessoas que estavam lá fora?

Eu trabalho com uma produtora, mesa lado lado no trabalho. Falamos como vai ser a festa e tudo mais... chega na hora eu e minha trupe de veados entramos na fila, ela não tem o que fazer a FESTA É DELA mas ela não faz ninguém de ridículo me passando na frente.

Passar amigos na frente é admissível em lugares grandes, mas em lugares pequenos... sério, amigos entrem na fila!

Peguei a briga pela metade, mas o Marcos Carioca não era o que vivia quebrando o pau com a The Week toda semana? Aii sério, adoro que na internet NÃO temos liberdade pra falar nada né? aff Voltemos para os anos 70 bixarada!

Anônimo disse...

Brasil- mostra a sua cara!!!!
E no trânsito? Pode furar fila também???

David® disse...

adoro um barraco!

Ps: eu concordo com sua opinião, no post e nos comentários. Eu tb até tento ser um ser humano, um cidadão, um amigo melhor....mas O Povo não colabora!

Anônimo disse...

gente... Chega ne? Afffff

Tiozinho disse...

que bafo, heim Thiago, mas enfim, como bom taurino , não tenho paciência, passei na frente da sonique além de ver a fila vi uma figurinha desagradavel (inclusive comentou nesse post)não pensei duas vzs, fui pra bella paulista, fazer o que um bom gordinho sabe fazer melhor, além de me divertir com meus amigos de verdade, vi vááários gatinhos.
simples, se eu posso evitar o stress, não tem por que insistir.
bj, guri.

Baiano disse...

Bonita sua postura tiago.

Acredito que todos que tenham atacado você aqui é porque tenham vestido a carapuça. Sim, é um padrão do brasileiro desrespeitar os outros, e uma forma do gay em se autoafirmar.

Acredito muito em mim e nas minhas escolhas. Na ultima vez que estive em Sampa, passei pela porta do Sonique, e ri. Não, não seria hoje que as phenas paulistas teriam o baiano loiro dos olhos azuis dentro das novas, polêmicas e disputadas paredes do tal bar.


Acho que você não cabe no Sonique! Deixa isso pro tal carioca, rsrsrs fracassado que cancelou o blog. Quem sobreviveu? Quem está com 70 e poucos comentários NUM BLOG ? Quem hoje tem a maior audiência do segmento.

Torço para que você possa expor sua opinião SEMPRE.

Um abraço, querido

Anônimo disse...

Lindinho, adoro seu blog e acho seus textos geniais, mas vc errou a mão neste... texto chatinho... Bee, arruma um namorado, aluga uns filmes e fica em casa! :-)
Beijos A.

Anônimo disse...

Vendo Palio/95. Bom estado.
Tratar com Lu.

Marco disse...

Thiago você fez super bem tanto em ficar na fila como se manifestar posteriormente sobre o ocorrido.Mostra que você tem caráter e é profundamente civilizado.
Se eu tivesse que ficar mais do que 20 minutos na fila eu iria embora.
Acho um tipo de favor infantilizado.do aluninho que chega atrasado na escolinha e pede para a tia abrir o portão. Para mim isto não faz parte de fundamento de noite.É falta de princípio mesmo.
Acho uma grande bobagem esta história de querer mostrar influência em porta de clubs/boates.Por aí já dá para ter uma
idéia do verdadeiro "nível " das pessoas que frequentam o local.

Anônimo disse...

Embora concorde com o fato que é pra se ficar puto com o que aconteceu, também concordo com aqueles que acham que nesses casos é melhor reclamar na hora e resolver o problema no lugar, do que fazer todo esse escarcéu via internet muito tempo depois. Sofrer calado e só chiar muito depois não é necessariamente educação e civilidade, como o Marco falou aqui emcima - é perder o trem e parte da razão, já que preferiu ser omisso quando o que se exigia era ação.

Aguardo ansiosamente o seu próximo post culinário. Abração.

Anônimo disse...

A coisa perdeu o propósito...vc já deu seu recado. Melhor se preservar de determinados comentários grosseiros e de uma agressividade gratuita. Fecha esse post e passa pra outro tema. Abração !

Anônimo disse...

caro thiago seu blog é o de melhor qualidade no ar hj, nao só entre a blogaysfera, mas no geral(nao é surpresa que vc sera/ou ja é jornalista).vc fez oque era certo:
esperou, se frustou, desabafou, porem parece q o assunto repercutiu mais doq vc esperava. e agora vc vai ter que usar da mesma cara de pau daqueles que furaram a fila,para na proxima ediçao do ccv encarar todas essas pessoas que certamente vao querer debater com vc sobre esse assunto. como vai encarar essa???

fabio barreto disse...

ola, thiago! concordo totalmente com seus argumentos e é uma pena que a maioria nao percebe a possibilidade de se discutir o assunto em uma amplitude maior ja que o fato ocorrido é comum em grande parte da noite. me surpreende que alguns achem que o errado é vc por nao ter usado de seus contatos pra entrar. acho que essas pessoas vivem em um mundo em que os valores estao invertidos. que bom que vc permaneceu fiel a seus principios, coisa rara entre as bees, pois daqui a pouco ninguem mais lembra do sonique, do cafe com vodka e principalmente de alguns blogueiros muito afeitos a barracos e auto promocao. nao entendi o pq de um tal blogueiro querer transformar os comentarios em mais um palanque. se é assim deveria ter continuado com o seu proprio blog. um grande abraco.

cassio disse...

me interessei pelo palio 95.

cassio disse...

essas pessoas que dizem que vc deveria ter usado seus contatos para entrar com tanta naturalidade mostram que ha algo realmente errado no brasil.
educação é um principio que não deve ser abandonado, mas deveria ser uma lei!

Anônimo disse...

Fila vip é diferente de furar fila. Moro em SP a pouco tempo e o que mais vejo na cidade das VIPs é falta de educação. E o mais engraçado de tudo isso é que elas precisam ser chmadas de vip para se sentirem importantes. Que importancia tem essas pessoas alem das portas destas baladas?
No final voltam para casa sozinhas....triste.
Existe vida alem das portas destes locais....

Marcio disse...

Olha, avaliando a postura dos freqüentadores, não vejo muita diferença entre receber atenção diferenciada graças a um convite (entrar junto com amigo portador do cartão black da TW) ou em resposta a uma solicitação (pessoas que pediram que o amigo produtor as resgatasse na fila do Sonique). Se um merece ser comparado a políticos corruptos o outro também merece.

Acho que clientes vip existem sim, mas não são gente pertencente a uma casta superior. São aqueles que fazem diferença naquela noite (sejam colaboradores, "formadores de opinião", celebridades, etc). É normal que essa atenção diferenciada seja dada a uma quantidade reduzida de gente. Afinal se por um lado o produtor precisa dessas pessoas, por outro não é interessante deixar metade do público entrar de graça pois o lucro morre (afinal a grana do consumo no bar costuma ficar com a casa).

No Sonique fica inviável criar duas entradas razoavelmente distantes como na The Week, onde a separação é menos óbvia. Por outro lado acho que rola implementar algo parecido com o sistema do D-edge, onde os vips entram pelo lado direito e os demais, pelo esquerdo.

Discordei um pouco desse post mas acho o blog excelente.

ABS.

Anônimo disse...

Oi! Se não sabe brincar não desça pro play! Isso acontece em qualquer lugar do mundo e quem pode entrar sem fila entra mesmo. Aos amigos tudo, como diz nosso Lula. Se tu não é vip, amigo de alguem ou belo, chegue cedo e aguarde no seu lugar, no fim da fila. Da proxima vez que ver fila na porta, nem pare. Vá direto pra 269. É pra lá que todos vão depois. E sem carão...

Anônimo disse...

Thiago:
Li e concordo com os seguintes pontos de seu blog:
- [1] Fila de espera para uma casa noturna superando 30min é sempre desgastante, o que dizer de 1h e 20minutos;
- [2] A espera se torna ainda pior quando há pessoas "furando", sem regras claras (como nome em lista ou reservas), ou quando a casa noturna não avisa os motivos da espera.
Neste sentido espero também melhoras no Sonique.

Por outro lado, as pessoas devem entender que cada casa noturna possui um modelo de atendimento e regras de precedência, concedendo ou não prioridades aos chamados "VIPs", clientes especiais, celebridades e sub-celebridades, reservas, etc. Cada casa define tais características e nível de serviço. Cada pessoa é livre para frequentá-la ou não, gastando seu dinheiro e tempo como bem entender. Há alguma confusão aqui: não se trata de fila de hospital público, ou de fila de serviços sociais, em que os cidadãos devem ter tratamento isonômico, ou no trânsito, onde as regras e prioridades são claras e definidas em lei. Trata-se de um empreendimento privado, baseado na livre concorrência e na legítima diferenciação de serviços – pense que alguém investiu tempo e dinheiro para planejar, construir e promover aquilo.

Agora, embora esses pontos sejam comuns a vários lugares no Brasil e no mundo, podendo gerar insatisfação e dissabores, na minha opinião há três fatores que não concordo, as quais catalisaram tal celeuma e que merecem sua reflexão: a forma, o meio e a lógica com que essa crítica foi elaborada.

- [a] Forma: Apesar de defender a boa educação e convicções, ao final, com as atitudes descritas em sua crítica, sobressaem na verdade uma inexperiência ou timidez para navegar em círculos sociais concorridos. Ainda mais quando se sabe que você já conhece o produtor (ou parecem se conhecer de alguma forma), não teria sido muito mais efetivo ter conversado e tentado resolver os problemas no momento, in loco? Aqui estou me referindo aos princípios de boa educação e cordialidade em sentido mais amplo, o que também inclui tentar resolver os problemas da forma mais expedita possível e de forma discreta (na linguagem comum: "não criar barracos" - na vida real e virtual), ser mais tolerante com problemas iniciais que qualquer pessoa poderia ter (o "não dar piti") ou simplesmente optar por não participar de eventos com problemas que julgar intoleráveis (o "evitar programa de índio").

- [b] Meio: Um blog de conteúdo público torna-se rapidamente um fórum para todo tipo de maledicências. Lembrar que além da ética no mundo "real", há uma ética no mundo virtual. Achei um pouco injusto usar a credibilidade e popularidade do blog para tecer tais críticas, que podem ser interpretados de forma errônea. Torna-se uma "troca de farpas" pública -- e desconfio que há quem esteja se divertindo vendo "o circo pegando fogo", polarizarindo sua posição e não necessariamente contribuindo positivamente.

- [c] Lógica: Nos julgamentos sobre as pessoas que "furaram" a fila, afirmando que"a vileza de caráter desse tipo de gente é a mesma dos velhacos ... e colocam dinheiro público no bolso. Nem mais, nem menos", há uma falácia de generalização precipitada e pressupõe uma certa superioridade moral do autor. Nem todas as pessoas que entraram desta forma, incluindo seus "amigos", possuem tais características; e nem todas as pessoas que ficaram na fila são moralmente superiores. Curioso notar: no post há impressão de que há um acerto de contas, o "você sabe com quem está falando?" passa a ser o autor da crítica, um juiz de moral superior. Também outros comentaristas apóiam seu discurso, mas com generalidades, confundindo "educação", "democracia", "honestidade", "civilidade", "castas"... com a mera questão de atendimento e regras da casa.

Enfim, este blog é seu, possui contéudo interessante e você tem liberdade de expressão; de forma similar, o Café com Vodka possui liberdade para adotar novos procedimentos e obter ainda mais sucesso. Peace, um abraço e desculpem o longo post. J.

Anônimo disse...

Ai que falta de assunto... vc escreve tão bem pra falar de um assunto tão chulo. Pensa numa nova pauta, bee... vai ser melhor.

MARIO disse...

O TEMPO PASSA E NADA MUDA....UNS TEM RESPEITO/EDUCACAO/CIVILIDADE...OUTROS ACHAM LINDO ARROGANCIA/PREPOTENCIA/EGOISMO.....A VIDA SEGUE ASSIM...COM PESSOAS E A ESCORIA.
ADOREI SUA POSICAO E QUESTIONAMENTO..JUSTO! MAS VOCE E MINORIA INFELIZMENTE...

João disse...

Thiago, entendo sua indignação. É muito frustrante sair de casa com o simples intuito de se divertir e quebrar a cara. Também é revoltante pessoas como o Carioca Virtual admitirem, na cara dura, que furam fila sem o menor pudor.

Agora, seu post me pareceu mais um ataque gratuito a algumas pessoas de quem você tem birra do que propriamente um desabafo honesto sobre seus princípios. Não entendi porque você não foi falar com o Duda e expor sua insatisfação na hora, uma vez que já conhecia o promoter. Apesar da situação ser muito clara, vale a pena trocar uma ideia com o cara pra expor no seu post a justificativa dele pra aquela situação - se o depoimento do Duda fosse atrapalhado, iria reforçar ainda mais seus argumentos de que a casa está naufragando com este esquema.

Outro ponto: que hype é esse? O Sonique só tem camarão, uma gente extremamente fake em todos os aspectos.

Anônimo disse...

Nao li o post todo nem esses comentarios aqui. Arrumem o que fazer, muito assunto sem consistencia demonstram uma vidinha bem, mas BEM VAZIA!!!

Sinhá Moça disse...

Um comentário gigante acima diz que "Trata-se de um empreendimento privado, baseado na livre concorrência e na legítima diferenciação de serviços". Se for assim então é melhor a gente tomar cuidado porque daqui a pouco vai ter loja mandando cliente ficar na porta, supermercado impedindo vc de fazer compras, empresa aérea mandando vc ceder sua poltrona (aliás isso já acontece). É a Lei do Não Te Queremos Aqui. Pode justificar como preferir, pode falar que o blogueiro tem mágoa de barrado no baile, pode até esquecer tudo no próximo domingo, mas sabemos que vivemos num conceito Casa Grande & Senzala, em que pessoas, pra gostar e estar com umas, precisam detestar e repudiar outras.

Calorento disse...

Cara, sinceramente, você pagou de otário e ainda faz drama em cima disso.

Uma boate é um estabelecimento comercial, e quem vai está sujeito a esse tipo de regra, pois quem é comerciante quer ver o negócio DAR LUCRO, portanto, dá sim provilégio para amigos, parceiros comerciais, pessoas que contribuam para divulgação do espaço como jornalistas, formadores de opinião, celebs e por aí vai...

Não existe nenhuma infração da casa com relação ao Direito do Consumidor. A casa oferta entrada mediante lotação e se entende que há convidados, paciência. Se houvesse venda de ingresso antecipada, seria diferente e você teria o DIREITO de entrar, mas se não a opção de ficar esperando e insatisfeito foi somente sua.

E mais: Se você fosse dono de comério agiria da mesma forma.

Guipolv disse...

Darling, provavelmente pela exatidão da hora descrita por voce, nós estávamos praticamente lado a lado, pois às 20h00 eu também estava parado nessa mesma fila. O que acho disso? Normal, em
SP não enfrentar fila é que é uma grande novidade. Furar fila? FALTA DE EDUCAÇÃO! Permitir que amiguinhos entrem VIPs na balada enquanto trouxas enfeitam a fila? DE FORMA ALGUMA! As pessoas se usam de uma forma muito egoísta e eu não compactuo com isso também. Portanto, às exatas 20h30 dessa mesma noite, eu já estava sentado no Piolla da Lorena, comendo uma maravilhosa pizza Venezia com amigos, rindo, me divertindo e vendo "pheenas" also. Meu perfume Chocolat da Givenchy não foi à toa, MUITO MENOS meu fim de semana. ENTRETANTO, particularmente ADOREI esse seu post sobre o Sonique. É falando que se muda...tks. Congrats! Bye!

Tony Goes disse...

Melhor comentário de todos os tempos: "Vendo Palio 95".

É a GLÓRIA!!

É a real medida do sucesso do seu blog.

Vai ser difícil alguém superar, por mais brilhante que seja a argumentação, pró ou contra.

Invejinhaaaaa!

Parabéns, querido. Vou te apontar no próximo Café com Vodka: "tá vendo aquele cara ali? Foi ele que recebeu do cometário do Palio 95..."

Bora furar a fila!

tommie disse...

O que mais chamou atenção é que o texto bebe da água do New Journalism, misturando fatos e sensações. A pergunta final - e a ausência de resposta -, ainda que resvalando em conceitos morais pessoais, é um bálsamo pro leitor que quer estímulos para pensar e não idéias prontas.

Anônimo disse...

Genteeee, realmente chegar em um lugar com uma fila(e não precisa ser em um pronto socorro público não!) e querer entrar primeiro do que os que já estão ali antes, dá a dimensão exata da prepotência, orgulho desmedido e arrogância de um indíviduo, ou, como disseram ai pra cima, da imaturidade do sujeito (tem uma criança mimada dentro de mim que insiste em berrar "a bola/boneca é minha"). Horas mais tarde essa mesma bunita e fina vai profanar seu corpichto com um bofe qualquer, que vai colocá-la de quatro, dar meia dúzia de estocadas fundas (e mais um outro tanto de bofetadas), para mostrar a ela o seu real lugar nesse mundo! Não seria melhorar ela entrar na fila e aceitar, como todos, um SOFRIMENTO mais ortodoxo, digno, civilizado e saudável. Estaria prevenindo: olho roxo (e outros riscos!) e gastos com terapia.
Todo mundo pra fila, já! hahaha
Cláudio

Anônimo disse...

Chega né galeeera!
Com esse último comentário fazendo a linha "psiquê" penso que essa sessão está definitivamente encerrada... kkkk
A dama do lotação

Abunitadavilanovaconceicao disse...

Ai Tony Franja para de babar ovo pq vc adora peidar na farofa??ja e' hora de se aposentar a senhora e' de idade...a Thiago esta certissimaaaaaaa...essa Tony Franja com esse grupinho de phynass ou q se acham phynnas e' q tem de ser xoxada...recalque e' foda

andre disse...

Ai beeessha vc e' mto problematica reclama de tudo,a senhora nao e' gayrotinha imagina qdo virar cacura,vai ser uma problematica..a senhora esta em Sampa querida,acorde!!!!!!!!chegue cedo darling ou entao faca a borralheira e vire abobora ...

Anônimo disse...

E as blogueiras se dividem!!!
-A blogueira 'deprimida' quer reclamar mas nao teve culhoes pra ir direto a cerne do problema: Duda Hering.
-A blogueira 'geriátrica' se corroe de inveja e nao nega que é a mais alta-baixa casta das bichas, as que se acham "phynas".
-A blogueira 'levei-um-pé-na-bunda-sou-mimada-nao-quero-mais-ser-blogueira-pra-ver-se-chamo-a-atenção-do-meu-ex" como sempre adora por mais lenha na fogueira, na fogueira errada pra variar, ela coloca por colocar.
Finalmente as blogueiras pararam de rasgar falsas sedas e começaram a colocar as manguinhas de fora.

Billy Martins disse...

Eu já perdi a vontade de sair na noite paulista, é gente que não acaba mais nos lugares badalados e os que já não fazem sucesso naturalmente estão as moscas. Eu sair de casa para ficar na fila e esperar para poder me divertir e principalmente gastar meu dinheiro? Nunca! Ultimamente tenho preferido as festinhas nas casas dos amigos, lá sim eu sou sempre VIP e não gasto nada para isso, volto para casa feliz da vida.

Anônimo disse...

Essas bichas não tem memória mesmo heim!!! Ou são muito desinformadas dentro de suas bolhas.
Logo que o Sonique foi inaugurado, colocaram uma consumação BARRA VIADO, pois os gays gostaram do lugar e começaram a frequentar.
Depois da semana da Parada Gay, onde a casa teve festas todos os dias e com lotação em todos eles, os donos desse bar se renderam às carteiras das bichas classe média.
De verdade, depois desse episódio, perdi a vontade de ir lá.
Prefiro bares mais cool, onde realmente se pode conversar, paquerar, escutar boa música e sem muvuca...
Mais estou de acordo com o dono desse blog, descrever o que muitas pessoas de maneira clara e eficiente.

Anônimo disse...

Não gostou da fila???!!!
Mudar de bar bicha!!!
Ou quer ser outra wannabe??

Anônimo disse...

Para quem ficar na próxima fila terão assunto para falar durante horas..........