segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Vicky, Cristina y el verano del amor*

Qual a melhor maneira de gerenciar a vida afetiva e conduzir as escolhas que aparecem pela frente: com a razão ou com a emoção? Para descobrir qual é o homem certo para nós, precisamos sair com os errados? Antes de casar e "sossegar o facho", é importante ter vivido uma certa cota de experiências, que lhe permitam se conhecer bem? Uma pulada de cerca é sempre inofensiva se for bem-feita, ou pode colocar tudo a perder, mesmo sem ser descoberta? Vale a pena correr o risco? Vale a pena não correr o risco? Quem sou eu e o que quero de um homem, afinal?

É incrível quantos questionamentos dá para extrair de um filme tão leve quanto Vicky Cristina Barcelona, que está em cartaz há um bom tempo, mas só consegui ver ontem. O longa conta a história de duas amigas americanas que vão passar o verão na capital catalã. A certinha Vicky está prestes a se casar e vai a Barcelona para concluir os estudos para seu mestrado. Cristina é o oposto: descompromissada, impulsiva, faz o estilo deixa a vida me levar enquanto tenta descobrir quem é e o que curte. Quem está naturalmente aberta a viver aventuras é ela, mas a tentação também cruzará o caminho de Vicky, para quem a viagem terá um significado inesperado.

Ágil e divertido, Vicky Cristina Barcelona tem roteiro inteligente e bem amarrado, com direito a algumas reviravoltas - não é uma daquelas fitas em que, na metade, você já sabe qual será o final. O filme aproveita ao máximo a beleza de Barcelona e extrai cada gota do carisma de Scarlett Johansson, Penélope Cruz e especialmente Javier Bardem, o casanova irresistível que traça todo o elenco feminino do filme. O melhor de tudo: quem assina Vicky Cristina Barcelona é Woody Allen, mas ele não dá as caras o filme inteiro, poupando-nos de suas atuações irritantes. Teria sido muito bem colocado no meu ranking de melhores de 2008, se eu tivesse conseguido vê-lo apenas alguns dias antes...

(*) O título faz referência à música "La Revolución Sexual", do grupo catalão La Casa Azul, que eu descobri lendo o blog do Toot-sie e não consigo parar de ouvir... é tudo de bom e mais um pouco! Adorei a dica, já é a trilha oficial do meu verão!

22 comentários:

Daniel disse...

Adorei esse filme.

Tchynna Penedo - babadocerto.wordpress.com disse...

Fabulosooooooooooooo!!!
Você está virando um ótimo jornalista. Sério, seus textos "menos introspetives" estão ficando um primor. E o melhor que é um jornalismo sem aquelas bobeiras de lide, sublide, piramide invertida e principalmente sem imparcialidade - que nem existe!!!

beijossssssssssssss
mas, quero ainda saber o nome do blog fake!!!!!

whateveeer disse...

Também não gosto do Woody Allen atuando. Prefiro quando ele fica atrás das câmeras. Curiosamente meus dois filmes preferidos dele são bem recentes: Match Point (perfeito) e Vicky Cristina Barcelona.

Marcelo disse...

Hehehe, todo verano es el verano del amor!

Adorei estar entre os blogs Bacanas. Ta Adicionado!

ABs

HAIRYBEARS disse...

AINDA NÃO ASSISTI

:(((((





HAIRYBEARS
http://hairybears.blogspot.com/

luka disse...

Achei interessante porque o autor diz que ´Vick é a certinha, que quer tudo certinho e só passou por uma aventura em Barcelona, mas no meu entendimento ela é a sonhadora a que não quer rotina e não Cristina. O inverso também vale.
Pra mim ele mostra que a gente pode ficar se enganando uma vida inteira.

Ivo disse...

Também só vi o filme neste ano. Ele superou minhas expectativas, mas não achei dos melhores do ano, não - é que já tenho uma natural má vontade prévia com o Woody Allen. Achei meio estereotipado, especialmente o arquétipo "artístico latino perdido e histérico" da Penelope Cruz.

Klero disse...

engraçado que, para mim, o filme é da penélope.
até ela entrar, eu estava entediadíssimo (tudo bem que scralett johansson não ajudou muito)

mas depois que penélope entra... o filme fica ótimo!

Fabiano (LicoSp) disse...

Ainda não vi, mas fiquei interessado. vou ver onde esta passando para pegar uma sessão.

abs

PhoToxic disse...

Bons Textos.

Clebs disse...

Eu adorei esse filme...A parte que mais gostei foi a indiferença da Scarlett contando para os amigos sobre a experiência lésbica que teve com Penélope....foi de uma naturalidade impar!

Vontade de visitar Barcelona só aumentou.

Lindinalva Zborowska disse...

que vídeo é esse beeeeeeee!!! Daft Punk ibérico? Fiquei beijeeeeeeeeeeeenho doce!!

Gui disse...

Também adorei. Mas vc esqueceu de elogiar a Rebeca Hall, que arrasa no filme!

Por coincidencia, tambem so consegui vê-lo agora, no dia 25 de dezembro.

isadora disse...

Woody Allen é um dos meus preferidos e estou adorando os últimos dele filmados na Europa. E Penélope Cruz está absurda e verossímil ao mesmo tempo, demais!

isadora disse...

Thiago, li seu comentário lá no blog. Suspendi um pouco os trabalhos porque me envolvi com um projeto diferente no começo do ano e também para não atrapalhar o recesso das pessoas, mas já estou voltando.
Te escrevo.
Um beijo e um ótimo 2009!

Claudio disse...

Impressionante, mas também assisti a este filme justamente ontem.
Está passando há muito tempo e ontem consegui ir vê-lo.
O filme dele pode ser ruim (não é o caso de Vicky...), mas o texto é sempre excelente.
Todos nós temos muito de Vicky e Cristina, mas acho que sou mais Cristina mesmo... super impulsivo...
Beijos

Paulo disse...

Embora adore Woody Allen, ainda não consegui tempo para assistir esse filme também! Vamos ver se consigo até semana que vem!

E anotei a trilha sonora, já vou colocar o emule em ação para conferir! ;-)

ANDRÉ MANS disse...

esse filme é bem gostoso mesmo e muito mais inteligente do que aparenta ser... sobre o seus questionamentos para mim está tudo tão claro em relação ao amor... amor liberta SEMPRE e não nunca haverá regras na ordem de chegada.

bj!!

Guy Franco disse...

Dou seis dias para ele ter escrito e montado alguns planos na cabeça desse filme. Ainda com seis dias fez algo bom. Mas a gente sabe que ele é melhor e mais competente. Allen mandou beijo a todos.

poor guy fashion victim disse...

O filme ainda não estreou por aqui. É a primeira fez que o Woody Allen aborda uma relação homossexual. Estou curioso curioso. Não querem adiantar mais acerca deset aspecto?

Celso Dossi disse...

O filme é mara.
E vc, preferia ser yuppie em NY ou andar de bicicleta na Espanha? :D

Sandro disse...

Thiago,

Estou sempre por aqui lendo seus posts.. acompanhando suas dicas!
ESte ano vou passar meu carnaval em ubatuba.... n tenho a menor noção de pontos gays, festas ou pegação por aquela região!
Se puder levantar isso .. seria um mega favor.
Abs.