quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Furor uterino


Que furor uterino esse em torno de Do Começo ao Fim, né? Vários amigos meus não veem a hora de o filme entrar logo em cartaz e, a julgar por tamanha expectativa, provavelmente temos pela frente um sucesso de bilheteria, pelo menos dentro da nossa bolha gay. Mesmo fora do mundinho, este é um filme que dificilmente vai passar em branco: tem dois protagonistas lindos, atores globais no elenco e, mais importante, um tema central bem delicado (mas que parece ter sido tratado com sobriedade). Promete uma acalorada repercussão em diversos níveis e searas.

Não vou me deter em maiores especulações depois de ter visto apenas o trailer, mas confesso que eu também estou curiosíssimo. O filme só vai estrear no circuito em 27/11, mas algumas pessoas poderão vê-lo antes disso. O Mix Brasil fará uma exibição fechada para convidados em 12/11, na abertura do festival de cinema em SP, e seguidores do filme no Twitter e Facebook também serão agraciados com sessões exclusivas. Enquanto isso, que tal participar da (difícil) escolha do cartaz oficial? Saiba mais detalhes entrando aqui.

10 comentários:

cassio disse...

Será que eu fui o unico que vê um sutil(e inteligente) drible à censura no cartaz nº2?
A foto sugere um beijo, mas o encontro de labios dos rapazes fica oculto. Será??? seria de lavar a alma o poster de um beijo bem gostoso espalhado pelos shoppings de sp. o poster nº1 e para o caso do ser exibido no cinemark.

Anônimo disse...

Quem nao consegue fazer bons filmes, usa esses expedientes...que falta de criatividade e bom gosto...nem acho morbido so' triste

Junior disse...

Impossível não associar a trilha sonora do trailler com a de Amelie Poulain.
A conferir quando estrear.

Cooper's disse...

ancioso quanto à critica ao filme, pois prés-críticas não param de surgir.

Patrique disse...

Sou só eu que estou com nojinho desse filme???

CriCo disse...

não vi censura alguma no poster 2 (o que eu votei, óbvio). mais vale algo sutil, que todo mundo com bom senso e que não é cego sabe o que eles estão fazendo, do que algo muito escancarado... isso eu deixo pra capa (clássica) da Sui Generis. o filme por si só já é beeeeeeem picante... ainda bem q dá pra eu ver antes de eu viajar...

(ainda extasiado após acabar de ver Bastardos Inglórios. o público bateu palmas. me senti no festival. :D)

Ronaldo Souza disse...

Votei no número 2, na enquete do site A Capa. Concordo com Cássio, a número 1 é para Cinemark. Pelo excertos que li e trailers que assisti, não vejo como não assistir e comentar, mesmo com que não é do nosso meio. Espero que não resvale para pieguice.

Don Diego De La Vega disse...

Tb acabo de escrever sobre isso lá no blog, nem tinha lido seu post ainda. :)

O negócio é a gente se preparar praquela chuva de ignorância vinda de todo lado que certamente não vai faltar quando o filme estrear....

Às vezes dá uma preguiça ficar dizendo de novo e de novo as mesmas coisas pra esse bando de pessoas.....pq eles voltam SEMPRE com os mesmos argumentos batidésimos contra os gays.

Deus tenha piedade, eles não sabem o q fazem.....

Diógenes de Souza disse...

Se corresponder a toda essa expectativa e se chegar realmente às salas de todo o país, já podemos nos dar por satisfeitos!

Will Moritz disse...

A música do vídeo promocional é exatamente a do filme Good Bye Lenin (o compositor é o mesmo da trilha de Amélie: Yann Tiersen). Por que "emprestar" a trilha de Good Bye Lenin? Ainda não entendi!! O filme parece interessante pela ousadia. É comum, em um estilo mais francês que americano, que os artistas escolham os temas mais tabu e acho positivo que alguém faça isso no Brasil. A leitura, no entanto, depende sempre da bagagem e da orientação de quem lê. Não o vejo como representativo das problemáticas gays em geral, mas muitos vão fazer associações "ilícitas". Penso que censurar não seja bom; seja o que for que se mostre, é bom que as pessoas se acostumem ao "diferente"... o efeito é parecido ao da viagem.