quinta-feira, 24 de junho de 2010

O príncipe do momento

Estou vivendo uma daquelas semanas decisivas em que chovem prazos apertados e não há tempo a perder - nem com o blog. Mas há momentos em que a gente precisa dar uma parada e ocupar nossa cabeça com assuntos menos sérios e mais amenos - até para recuperar o fôlego e conseguir aguentar o tranco. Nessas horas, uma das minhas leituras preferidas é o Made in Brazil, blog do querido Juliano Corbetta, que funciona como uma vitrine da beleza brasileira para o mundo. Adoro ver os modelos, as coleções e também as novidades pinçadas pelo olhar apurado e preciso do moço, em inglês sempre impecável.

O modelo das fotos é o Bernardo Velasco, clicado pelo craque Lucio Luna [outras fotos dessa série, você vê aqui]. Quando ele posou para o finado site The Boy, no final de 2008, já era bonito, mas não chamou minha atenção: faltava nele um je ne sais quoi de homem que, eu pensava, só viria com a idade. Mas ele não demorou muito para ficar no ponto, e nem precisou perder o rostinho delicado. Talvez tenha sido questão de encontrar os fotógrafos certos. Mas o fato é que Bernardo finalmente me conquistou.

E me conquistou ao ponto de se tornar o meu modelo predileto, destronando até mesmo o antigo príncipe cafuçu que dominava os meus sonhos, Ramirez Allender (que deu uma boa sumida). Bernardo consegue um equilíbrio dificílimo: é sarado, masculino e viril sem deixar de ser esguio e até delicado. E ilumina todas as fotos em que aparece com esse rosto limpo, perfeito, sereno, quase angelical.

Além de Bernardo e Ramirez (que pode me reconquistar se quiser, eu prometo facilitar!), vou nomear mais oito para fechar um dream team redondo com dez modelos. Entre os bofões, ainda não consegui tirar da cabeça o Malvino Salvador; o Diego Cristo tem um belo olhar e não faz feio quando deixa a barba crescer. No capítulo cafuçus, as passarelas nunca foram muito generosas, então só me ocorre o paraibano Carlos Freire, com sua pele dourada e seu físico impossível. Loiros e germânicos não são meu forte, mas, se eu tiver que escolher, não tem pra mais ninguém: é Rodrigo Calazans e Jonas Sulzbach na cabeça. Homens com rostinhos de bebê tampouco me instigam, mas o Edilson Nascimento e o Renato Ferreira merecem uma menção honrosa. E, para fechar em dez, como eu não achei um link só do Erasmo Viana no MIB, eu pego o André Ziehe - que veio na mesma leva do Evandro Soldati, mas deve ser bem mais atraente ao vivo do que o galã (?) de Alejandro.

5 comentários:

Made In Brazil disse...

Adorei!

Wans disse...

Eita, são realmnte deliciosos. A senhora soube mesmo escolher os bofes, né?

Eua doro os modelos fotografados pelo deus Paulo Cabral. São de uma sensualidade absolutamente provocantes.

Bj, Thi!

livinha disse...

hahah
otimo!!!

o jonas e o diego sao d+ pro meu pobre coraçãaaooo

Anônimo disse...

VC TB É GATO ! COM A VANTAGEM QUE VEM COM A INTELIGENCIA INCLUIDA NO PACOTE, FALANDO NISSO VC ATUA EM QUE RAMO DO DIREITO? ESTOU FAZENDO FACULDADE DE DIREITO E NAO SEI MUITO BEM QUE RUMO SEGUIR, TINHA UM POUCO DE MEDO, POIS ACHAVA ESSE MEIO UM POUCO FECHADO PARA PESSOAS DIFERENTES. ME DA UMAS DICAS!!UM ABRAÇO

Introspective disse...

Anônimo: De fato, o meio jurídico é bastante conservador - inclusive falei sobre isso no blog, no post do dia 07.05.2010. Mas sempre existem exceções, diferenças, brechas, gente que pensa diferente e enxerga além. Em relação à homossexualidade, se por um lado ela ainda é vista com reservas em alguns ambientes, por outro a demanda por assistência jurídica especializada, sobretudo no ramo do direito civil, é crescente. Prova disso são os cursos de atualização que pipocam aqui e acolá. Meu conselho: siga o ramo que mais lhe agrada, sem se preocupar tanto com a questão da sua sexualidade. Você terá, eventualmente, que tomar alguns cuidados, mas se for um bom profissional e souber se impor, não deverá ter grandes problemas. Boa sorte!