quinta-feira, 8 de julho de 2010

Poderosa Afrodite? NOT!

Dizem que um produtor bem escolhido e um primeiro single poderoso já são meio caminho andado para um álbum de sucesso. Mas a verdade é que Aphrodite, novíssima cria de Kylie Minogue, não tem fôlego suficiente e fica pelo caminho. Em "All The Lovers", a superbonitinha faixa de trabalho que abre o disco, o DNA de Stuart Price é bastante evidente. Mas nem o aclamado toque de Midas do produtor consegue segurar a onda do resto do álbum. A delicada Kylie tem suas limitações vocais e nunca se desvencilhou de uma sonoridade datada, estacionada no início dos anos 90, mas trabalhos anteriores como Fever (2001) e X (2007) ao menos conseguiram entregar pérolas pop bastante satisfatórias. Já neste Aphrodite, falta tempero: as faixas são burocráticas, pouco inspiradas, e os refrões não grudam, o disco não acontece. Na melhor das hipóteses, serve como trilha ambiente numa loja da Zara. As duas gloriosas exceções, além de "All The Lovers", são "Better Than Today", com uma melodia bem gostosa que se sobressai, e a alegre "Can't Beat The Feeling", que fecha o disco e tem tudo para ser o próximo single - uma faixa quase dançante, que pode crescer bastante com um bom remix. Ainda assim, é muito menos do que se podia esperar de um disco assinado pelo pai de Confessions. Pelo menos, Lady Gaga pode respirar aliviada.

9 comentários:

Blog do Dirceu disse...

não acho que se tenha ainda um perfil desse álbum, eu acredito e muito que ele venha ser um sucesso, se não o pessoal da Swedish house Mafia não iria colocar o dedo... e o lançamento tambpem não seria sob orientação deles no pacha... sorry

S.A.M disse...

Bela critica, Kylie Minogue tem um número consolidado de fãs, e acho que ela vai na onde de outras cantoras que planam na sua base de fãs existentes e pouco aançam além disso.

Introspective disse...

Blog do Dirceu: Quanto tempo, tudo bem com você? Não entendi seu comentário... como assim "um perfil desse álbum"? Para ter uma opinião sobre um disco, não basta ouvi-lo? Ora, foi isso que eu fiz... escutei três vezes e registrei minhas impressões. Pessoais e subjetivas, como também serão as suas e as de cada um que escutar! Ah, e o fato de um disco ter participação da máfia sueca e ser promovido no Pacha é suficiente para que ele seja bom? Talvez seja pra você, amigo... respeito sua opinião! Beijão!

Don Diego De La Vega disse...

Eu tento, tento, tento, mas não consigo ser um cara q compra CDs ou baixa músicas pra ficar ouvindo.

Meu negócio é visual, com a melhor qualidade disponível. (No caso, Blu-ray)

Acabo de comprar, depois de ler extensas e completíssimas reviews dando 5 estrelas (tanto pra música como pro registro) esses dois aqui abaixo:

http://www.amazon.co.uk/Justin-Timberlake-FutureSex-LoveShow-Madison/dp/B0010DGYM4/ref=sr_1_2?ie=UTF8&s=dvd&qid=1278621574&sr=1-2

http://www.amazon.co.uk/Caught-Act-Blu-ray-Michael-Bubl%C3%A9/dp/B001UW58YK/ref=sr_1_2?ie=UTF8&s=dvd&qid=1278621726&sr=1-2

Mauri Boffil disse...

acho que ela deveria ter parado no Fever...
Ai, não me diz que... é você?! ^^ :D

Mauri Boffil disse...

Com todo respeito... Yammi!

Tony Goes disse...

Mas os discos da Kyie nunca são bons do começo ao fim. Ela é boa de singes, não de álbuns.

Lucas T. disse...

Sinceramente eu acho o Stuart Price limitado. O novo álbum do Scissor Sisters produzido por ele é bem irregular.

Concordo que a Kylie é limitada mesmo, mas pra mim um bom produtor resolve qualquer limite - vide Britney Spears, que foi elogiadíssima pelo Blackout, álbum lançado justamente na época bemloka da vida dela.

A Kylie merece um álbum muito melhor, esse Aphrodite vai flopar :S

Thoni disse...

Concordo com vc! Mas esta pode ser uma estratégia para conquistar o público norte americano. Já que os discos dançantes não emplacaram lá, talvez um assim, emplaque.
Faltou mencionar Get Outta my way, que é uma das melhores faixas dançantes.