quarta-feira, 6 de abril de 2011

Camaleões

O novo filme estrelado por Wagner Moura, VIPs, confirma não só a extrema versatilidade do ator baiano (a quem finalmente me rendi), como a boa fase que o cinema brasileiro está vivendo. Inspirado na mesma história real que deu origem ao livro Histórias Reais de um Mentiroso, o longa mostra a trajetória de Marcelo, um jovem com distúrbios de comportamento que, na busca pelo seu sonho de se tornar piloto de avião, vai assumindo diferentes personalidades, até se fazer passar pelo filho do dono da empresa aérea Gol, o que lhe rende até uma entrevista na TV com o apresentador Amaury Jr. A narrativa é bastante ágil e dinâmica, e Moura consegue fazer de seu farsante destrambelhado um personagem crível e bastante envolvente - é impossível não torcer por ele a cada nova artimanha que sai de sua cabeça criativa e fantasiosa. O filme evidentemente mostra um caso extremo, mas, em diferentes proporções, essas pessoas estão por toda parte. São políticos que assumem uma postura pública contrária a atitudes que eles mesmos exercem em suas intimidades. São amigos interesseiros que vêm pedir favores pelo Facebook, mas depois passam reto e fazem a egípcia na boate. Seja por necessidade ou por interesse, o ser humano é um notável camaleão, que em cada situação ou ambiente veste o disfarce que melhor lhe convém. Poucos conseguem ir tão longe quanto Marcelo, o rapaz que se tornou, na mesma medida, beneficiário e vítima de sua imensa cara-de-pau.

6 comentários:

BruH's World disse...

Eu quero assistir este filme, uma pena que ainda nao chegou no Japão. Sendo camaleão ou nao, o importante eh ser voce.

Se cuida
Paz

Gilberto Scofield Jr. disse...

Ainda não vi. :( Acabei de chegar das férias (segunda, para ser exato) e embarco na sexta para a China para cobrir a viagem da presidente Dilma Rousseff. Na volta vamos jantar e vc me atualiza da sua vida. Bjs

Diego disse...

Mas ser camaleônico pode ser algo positivo?

Anônimo disse...

Ai... Wagner Moura não dá... E as caras que ele faz quando está sendo entrevistado? Difícil ver coisa mais antipática!!!! Muito c-h-a-t-o!!!!!!

Thiago Lasco (Introspective) disse...

Anônimo, confesso que eu não ia muito com a cara dele. Na série "Tropa de Elite", gostei da entrega dele ao personagem. E neste filme, achei que ele detonou - a ponto de fazer a gente esquecer do Capitão Nascimento.

mmellone@uol.com.br disse...

Thiago:
Gostei do seu post sobre Vips. Concordo com vc sobre a brilhante atuação do Wagner Moura: depois de um personagem tão marcante como o Capitão Nascimento de Tropa de Elite, ele reaparece na pele de vários personagens criados pelo farsista.. No entanto, o filme causou-me decepção. Por mais que diretor, roteirista e ator justifiquem que o Marcelo das telas é ficcional, o público conheceu as histórias do verdadeiro estelionatário. Não consegui fundir as duas imagens, a do retratado nas telas com brilhantismo por Moura com a do bandido verdadeiro. Ficou um vácuo entre esses dois “Marcelos”.
abr Maurício