sexta-feira, 13 de julho de 2007

Os velhos prazeres de sempre


Meus amigos sempre me perguntam por que venho tanto para Buenos Aires. Alguns conheceram e gostaram daqui, mas não conseguem entender como eu posso continuar gastando dinheiro vindo pra cá - e, mais ainda, voltar sempre com o mesmo entusiasmo, mesmo com doze visitas no currículo.

Sempre que venho, acabo encontrando alguma coisa nova e boa: algum restaurante que eu não conhecia, alguma festita nova, ou mesmo os festivais de música eletrônica que sempre têm um line up diferente. Mas percebi que o que me faz querer voltar mais e mais vezes não são as novidades, e sim as coisas boas de sempre, meus favoritos pessoais - os clássicos portenhos de Introspective.

O primeiro entre tantos outros clássicos é a comida deliciosa do Broccolino. É um restaurante italiano honestíssimo, que fica no Microcentro e tem um quê das cantinas de Nova York. Preciso ir pelo menos 2 ou 3 vezes lá em cada viagem, para comer os fabulosos Sorrentinos Tony, com um saboroso recheio de presunto, mussarela e ricota moídos e um molho divino de tomates frescos, manjericão fatiado e mussarela. Uma receita simples, mas às vezes é nas coisas mais simples que um restaurante revela o seu verdadeiro talento.

Num roteiro pessoal de uns quinze bons restaurantes, nao só no Microcentro mas também em Palermo Viejo e Las Cañitas, tem uns cinco que não podem faltar nunca, mas o Broccolino é sempre o primeiro (comer o sorrentino é uma espécie de ritual, quando sinto que realmente cheguei em Buenos Aires) e o último (a refeição da despedida, para ir embora com esse gostinho bom na boca). O jantar de amanhã será lá.

Outro prazer gastronômico que não pode faltar são os sorvetes indescritíveis da Freddo e da Persicco. Os sorvetes da Freddo eram os melhores do mundo e parecia que não dava para melhorar nada - mas a família teve a capacidade de se superar quando vendeu a rede para um grupo estrangeiro e, cinco anos depois, lançou sua nova cria. O sorvete da Persicco é ainda mais gostoso - mas eu continuo tomando os dois. Na Freddo, vou de banana split (creme de banana e baunilha, flocos de chocolate e bolotas de doce de leite mole) e crema irlandesa (um creme perfumado com licor Bailey's); na Persicco, vou de mousse de chocolate (que é melhor do que o da Freddo), crema mascarpone (parece uma cheesecake, com frutas vermelhas e tudo) e tarta de limón (divino, parece uma lemon pie mesmo). E, quando o horário do meu vôo de volta permite, ainda levo mais sorvete para o Brasil, embrulhado em caixas de isopor com muito gelo seco em volta.

Mas Buenos Aires vale por muitas outras coisas. A beleza e o charme europeu da cidade fazem dela um ótimo passeio. E com o dólar custando 2 reais para nós e 3 pesos para os argentinos, as compras estão ótimas para os nossos bolsos - roupas, tênis, eletrônicos, tudo sai bem mais barato. O frio está uma delícia e tive a sorte de presenciar um acontecimento histórico, a neve - a última vez que havia nevado em Buenos Aires foi em 1918. E tem as baladas, claro. Mas essas vão merecer um post separado - da próxima vez que eu tiver paciência para enfrentar esses teclados em espanhol e atualizar o blog.

[Foto: brownies com 'dulce de leche' e merengue @ Marini Gourmet]

5 comentários:

Alexandre Lucas disse...

Tesão essa da neve histórica :)

Vítor disse...

O Broccolino é ótimo mesmo.

Só discordo duma coisa: apesar de a Freddo e a Persicco terem sorvetes diliça, meu favorito é, de longe, o Mil Frutas. Será bairrismo excessivo?

Anônimo disse...

hummmm Buenos Aires é mesmo uma delícia, né?

Mais uma vez parabéns pelo blog! :]

bjo

Marquinhos - Recife

Tony Goes disse...

Thiago, que delícia acordar de manhã e dar de cara com um monte de comentários seus no meu blog. Welcome back!

Gracias pelo elogio. Acho que sou conciso porque trabalho há mais de 20 anos com propaganda. Me acostumei a falar tudo sobre um produto (e ainda fazer uma gracinha) em 30 segundos, às vezes 15.

Já fui mais de 20 vezes a Buenos Aires e não conheço o Broccolino! Quer fazer o favor de dar um endereço mais preciso? Agora fiquei curioso. Esnobe que sou, meu favorito é mesmo a Casa Cruz em Palermo, jajaja.

Ah, e vai me descuplar, mas o melhor sorvete DO MUNDO é mesmo o do Mil Frutas no Rio. E não só os de fruta, hein? Tomei um de "dulce de leche con dulce de leche" (adoro essa combinação) lá que não ficava devendo nada ao do Freddo.

Beijão, e vê se não fica mais tanto tempo sem atualizar o blog! Entrei em crise de abstinência.

P.S.: Também não sei quem é a Bela&Rica. Só sei que é um carioca e, desconfio, por volta de 40 anos. On verra...

luis disse...

rsrssr proxima vez me leve junto XDDDDD
bem bonzinho o teu blog XD