segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Mamma mia, que viagem deliciosa!

Quatro vezes por ano, a sobrecarga de semana de provas mais escritório me obriga a sumir do mapa, até a tormenta passar e eu conseguir dar conta de tudo. Aí, quando volto à vida normal, tenho um moooonte de leituras e filmes acumulados para colocar em dia. Ontem fui ver Mamma Mia!, versão para o cinema de um musical de sucesso feito a partir das canções do saudoso grupo sueco ABBA. Eu definitivamente não sou um cara de musicais: costumo achá-los cansativos, me irrita esse lance de toda hora o enredo ser interrompido e os atores pararem de interpretar para cantar. Mas adorei esse - um dos filmes mais legais que eu vi no ano, pelo menos até agora.

Numa ilha grega deslumbrante, a jovem Sophie, filha de mãe solteira, está às vésperas do seu casamento. Lendo relatos amorosos de um antigo diário da mãe, sem que a dita cuja saiba, ela descobre seus três possíveis pais - e decide convidá-los para a cerimônia. No desenrolar da história, os sucessos do ABBA vão aparecendo um a um: "Super Trouper", "Voulez-vous", "Dancing Queen", "Gimme Gimme Gimme", "S.O.S.", "Take a Chance On Me" - e a faixa que dá título ao musical, é claro. Só senti falta de "One Of Us" (que aprendi a gostar com a versão do A-Teens, grupinho efêmero que regravou os hits do quarteto em 2000).

Meryl Streep - que conquista minha admiração mais e mais a cada dia - arrasa no papel principal (Donna, a mãe de Sophie), mostrando surpreendentes dotes de cantora (sua interpretação de "The Winner Takes It All" tem uma carga dramática quase visceral). Mas todos os demais atores do elenco têm a sua vez de soltar o gogó, e eles se saem muito bem - até mesmo Pierce Brosnan, o homem mais charmoso da Inglaterra, que eu jamais imaginaria num musical. As duas atrizes que fazem as fiéis amigas de Donna são divertidíssimas - destaco a Christine Baranski, uma atriz cujo nome eu nunca acertei (só me saía "Christina Prochaska") e que tem uma veia cômica nata. Eu gosto dessa mulher de graça, até de boca fechada.

O mais surpreendente é como as músicas vão se casando com perfeição ao enredo. Um incauto poderia até pensar que o finado quarteto compôs as músicas para esse filme, de tão natural que é o encaixe. E as interpretações dos atores conseguem dar um fôlego renovado ao trabalho do grupo. O musical tem um ritmo redondo (não dá aquela "desandada" no meio) e o visual paradisíaco da Grécia é um deleite extra para os olhos (só confirmou que essa será minha próxima grande viagem, não importa quanto tempo isso vá demorar). Mais do que isso, é a melhor terapia para um domingo chocho, porque você logo entra no esquema e acaba cantando junto o tempo todo (eu me surpreendi ao constatar que conhecia as letras mais do que pensava). Mas quem não conhece também se diverte, porque Mamma Mia! tem um astral altíssimo, com direito a uma inesperada reviravolta no final. Saí de lá leve, alegre e com uma vontade enorme de ouvir mais ABBA. Se meu primeiro namorado ainda estivesse vivo, eu faria questão de encontrá-lo só para a gente cantar "Voulez-Vous" falando o "a-ha!" um na cara do outro, como nos nossos velhos tempos.

13 comentários:

Tony Goes disse...

Bem-vindo ao mundo dos musicais, e pode ir se livrando dos seus preconceitos. Quem disse, por exemplo, que o ator precisa parar de interpetar para começar a cantar? Repare bem na Meryl Streep: ela não tem uma grande voz, só é afinada,mas o timbre não é bonito e a extensão não vai longe. Mas ela INTERPRETA as canções, e você mesmo sentiu a diferença no "Winner Takes It All".

Musical é tudo, bi. Quando você estiver preparado, uma força maior (tipo eu) te levará a Bollywood.

beijoooo

P.S.: Você diz que as músicas se encaixam perfeitamente na história, mas mesmo quando isto não acontece a solução é brilhnte. Estou me referindo ao epílogo do filme, aquela cena em que todos estão fantasiados num palco e cantam o primeiro grande sucesso do Abba, "Waterloo". Totalmente grátis!!

Agora vai ver "Les Chansons d'Amour".

Clebs disse...

Devo ser a última das bees blogayras que ainda não viu. Estou me preparando para ir amanhã! Já li sobre esse filme em praticamente todos os blogs e, em praticamente todos os blog, a opinião é a mesma: o povo adorou.

Me conhecendo, eu sei que irei gostar do filme, meu passado de musicais me condena... ameio "Hairspray" e "Moulin Rouge" é uma cicatriz no meu coração....

Agora vc pode degustar outros musicais mais elaborados, pois ouvi dizer que a plot de "Mamma Mia" é fraaaaaaaaaaaaaaaaaaaca.

Hugs!

Celso Dossi disse...

"Mamma Mia" e "Moulin Rouge" são maras.
Já "Chicago" me torrou a paciência. Primeiro, por ter levado o Oscar mérito de Moulin Rouge, segundo por Richard Gere estar canastra pra caralho, terceiro por toda aquela fumaça. ahhhahahaahahah

Agente 0069 disse...

Fala sério. O 007 canta muito mal. Pronto, falei.

Anônimo disse...

Vi com legendas em espanhol e... gostei.
:)
Xande

MANS / ANDRÉ disse...

eu amo musical
eu amo ABBA
eu amei meu sorriso após ver esse filme
eu amo a música pouco conhecido AS GOOD AS NEW

mas prefiro MOULIN ROUGE

Leo Lazzini disse...

entao, tirando aquela parte que ela da uma de adolscente sofredora e comeca a se contorcer no telhado eu gostei muito, e o epilogo eu achei que podia ter mais personagens ou publico, porque naum funcionou como funciona no teatro...

mas a cena delas correndo/andando com a streep na frente balancando o lenço, winner takes it all e a ultima dança quando o can oestoura e rola aquela água toda eh MTO bom!!! :D

Nerone disse...

Olá Introspective
desculpe nao ter dado resposta antes... minha vida andou uma loucura no ultimo ano. Só agora estou começando a retomar os planos. Nos falaremos mais, ok?
Abraços

Antonio disse...

POutz quero ver...no cinema!
Ah!!! vá sim assistir Canções de amor, sonf. sugerio o Tony Góes, francês cantante e encantador!!

Renato Borges disse...

Achei bem exagerado e até caricato Maryl Streep cantando "The Winner Takes It All". Mas acho que é o que se espera de uma grande interpretação de musical.

Mas o filme tem duas coisas muito boas: as locações nababescas e as festas que tem uma vibe envolvente: dá vontade de estar lá.

Mamma Mia é legal pra assistir na sessão da tarde...

Alberto Pereira Jr. disse...

adorei mama mia.. é ótimo ver a meryl strep tão solta e radiante né?

:D

Leo disse...

Nossa!!

Assisti a esse filme ontem e também achei MA-RA-VI-LHO-SO!!

Hoje mesmo, entre um problema e outro aqui no trampo, ficava me lembrando de várias cenas do filme.

r5 disse...

tb não curto muito musicais, mas "Les Chansons d'Amour" é muito bom. e em francês, q já é uma língua musical per se.

já esse mamma mia... acho q só assistirei em dvd. assim posso controlar o filme dar um fast forward nas partes mais chatinhas. preguiça de ir ao cine para filme sem história.