quarta-feira, 11 de março de 2009

Pra não dizer que não falei de selos

De alguns meses para cá, comecei a receber comentários de outros blogueiros dizendo que meu blog tinha recebido um selo e eu deveria "resgatá-lo". A brincadeira atende pelo nome de "meme": cada um que receber o tal selo deve indicar alguns blogs de que gosta (três, cinco, dez, depende do "meme") e seguir uma série de regras e instruções, que precisam ser coladas em um post e publicadas. Os blogueiros indicados colam o selo em seus blogs e repetem o procedimento, recomendando outros blogs, e assim a corrente segue adiante.

Pelo que entendi, o espírito da coisa é que cada um possa dar destaque aos colegas que admira; pelo "meme", os leitores seguem os links e acabam descobrido blogs novos, que não eram conhecidos (afinal, a rede tem um número interminável de blogs). Além disso, os selos que o blog vai recebendo e acumulando mostram que ele é reconhecido como bacana, servindo como uma espécie de prêmio que lustra o ego do blogueiro.

Apesar disso, tive várias razões para não aderir aos "memes", algumas bobas e outras mais sérias. Pra começar, sempre tive um certo bode de correntes e, por mais bonitinhos que os selos tentem ser, eles não deixam de poluir a página, como banners (anúncios). Além do mais, ao contrário do que acontece em outros blogs, aqui só são publicados textos escritos por mim, e não me agrada a idéia de começar a colar coisas de fora. Talvez um dia isso mude, mas por enquanto é essa a linha editorial que eu pretendo manter.

Outro motivo que considero relevante é o efeito colateral mais chato dos "memes": da mesma forma que estreitam o contato entre blogueiros, eles também geram animosidades e desafetos. As escolhas que você fizer para receber o selo invariavelmente vão melindrar outros blogueiros que esperavam ter sido citados (sobretudo por serem próximos a você), mas não contaram com sua indicação. Você pode não tê-los escolhido porque não admira os textos deles, mas também porque eles já têm exposição suficiente e você preferiu dar espaço a blogs menos divulgados. Mesmo assim, eles verão aquilo como um gongo e se magoarão por não terem sido reconhecidos.

E, acima de tudo, existe também o fator tempo. Com a rotina puxada que tenho, pra mim já é bastante difícil manter um ritmo de novos posts. Tenho pelo menos dez assuntos diferentes para desenvolver aqui, e não consigo. Se mal tenho tempo de atualizar o blog, que dirá passar uma corrente que me obriga a avisar dez indicados, conferir se cada um seguiu o "meme" corretamente etc. Prefiro usar o pouco tempo livre para escrever textos novos, ou tentar ficar em dia com meus blogs favoritos, que muitas vezes fico semanas sem visitar.

De qualquer maneira, fico muito grato por todos os meus colegas blogueiros que gostam dos meus textos e indicam o meu espaço. Mais do que receber selos ou visitas, o tipo de retorno que me importa, eu já recebo: comentários de ótimo nível (inteligentes, espirituosos, enriquecedores), novas amizades que surgem (no campo virtual e na vida real) e mesmo manifestações de carinho anônimas. Estou muito satisfeito com os frutos que venho colhendo com o blog. E outra: nada impede que eu use este espaço para indicar outros blogs, como já fiz várias vezes.

12 comentários:

Ronaldo Souza disse...

Concordo com você. Sérgio Ripardo comentou no blog dele algo nesta linha. Também não sou adepto de correntes (grilhões em geral não me apetecem) e acho que vale manter o que você já faz de melhor: um texto legal, bem escrito, com enfoques variados. Grande abraço!

Tony Goes disse...

Que susto! Quando bati o olho no título do post, li "Para não dizer que não falei de SEIOS". kkkkkkk

Concordo com tudo que você diz aí. Adoro receber selos, fico magoado quando blogueiros amigos não me indicam, mas nunca entor na brincadeira. Sou velho, tenho direito de ser chato, kkkkk

whateveeer disse...

Acho meme uma coisa chatíssima, a começar pelo nome.

ManoelBR disse...

Meme é sintoma de orkutização dos blogs: "eu te adiciono, você me adiciona", modinha pra calibrar egos. Tudo que é espontâneo e sincero é melhor, além de mais compensa e recompensador. Quantidade ou qualidade? Fama ou privacidade? Independêcia ou patrocínio? Tudo escolha, como quase tudo na vida.
Leio poucos blogs, o seu sempre vale a pena, até quando não concordo.
Pode cuspir os confetes da boca e tirar aqueles da orelha que não fico melindrado. =P
Abraço!

Anônimo disse...

Independentemente de participar ou não de correntes e afins, vc tem de manter o seu estilo.
Plisss.

whateveeer disse...

Sabe o que eu iria adorar ler aqui? Situações engraçadas e inusitadas. Afinal, tu deve ter dela aos montes, não?

Fabiano (LicoSp) disse...

O mais interessante da questão dos selos é saber que fomos homenageados. Muitos grandes amigos meus tambem preferem não entrar na corrente.

Uma sugestão, pq ao invés de entrar na corrente, voce só não cria uma área com os nomes dos selos que recebeu, sem as imagens.

bjs
e parabens pelos selos q ganhou.

isadora disse...

Acho meio bobo esse lance de selos. Mas também não posso falar muito, porque nunca ganhei nenhum, huahauha!
Mas, sério, como tenho um blog novinho também e meio que escrevo o que der na telha, nem espero muito e faço quase pelo vício da procrastinação. Assim, qualquer comentário vale um selo pra mim. O mais bacana é quando encontro amigos off line e eles dizem que leram isso ou aquilo no blog.

fabio_sjc disse...

meme? que coisa mais chata e pedante. Parabéns por se manter longe desses modismos.
Aproveitando vc foi conhecer mais algum restaurante da restauranteweek? To indo a sampa neste fds e gostaria de ter algumas boas indicações..sabe como é..pouco tempo e muita coisa boa pra conferir.
Abraços.

introspective disse...

fabio_sjc: Sim, tenho aproveitado bastante a Restaurant Week! Até falei sobre isso três posts atrás. Entre outros tantos, indico o Bananeira, o Obá, o Le Roi, o Apriori, o Hitam, o La Forchetta... tem muita coisa boa mesmo! O jantar do Bananeira, por exemplo, estava sensacional!

ANDRÉ MANS disse...

mas o melhor é o selo que vai na boca
e tenho dito.

Pegante disse...

tô com o comentário do André aí em cima!

e melhor ainda quando o selo é só o começo da coleção inteira de posições filatélicas...