quarta-feira, 20 de maio de 2009

Intervalo heterossexual

Muitas pessoas consideram este espaço um "blog gay", pelo simples fato de que essa é a minha orientação sexual, mesmo que eu não escreva o tempo todo sobre festa, boate e parada. Da mesma forma, vários dos blogs que frequento são feitos por caras gays como eu (alguns deles meus amigos na vida real, outros não). Às vezes, referem-se a nós como uma "blogosfera gay", como se fôssemos todos parte de uma onda coletiva. Chega a lembrar aqueles movimentos artísticos e escolas literárias, em torno dos quais críticos e professores aglutinam a produção cultural (não estou dizendo que sejamos artistas, escritores ou algo parecido, embora alguns possam ter essa pretensão).

Pois bem, por mais que goste dos meus colegas e também seja parte do mundjeeenho, às vezes me cansa flanar pela tal blogosfera gay e ter que ler trocentas visões dos mesmos assuntos. Aparece um vídeo viral engraçadinho (ou não), uma propaganda com leitura homofóbica, uma declaração polêmica de uma pessoa pública ou mesmo uma festa nova da buatchy, e lá vão os papagayos todos fazer currupaco em uníssono. É como se realmente existisse um maestro invisível fazendo o agenda setting da galera e ditando quais serão os assuntos relevantes do dia. E tome protesto contra os Doritos!

Por essas e outras, gosto de diversificar minhas leituras e respirar novos ares. E isso inclui alguns "blogs héteros" (já que somos rotulados como "blogs gays", imagino que o oposto também se aplique, ou não?). Muitos de nós se descobrem gays, sentem-se acolhidos pelo gueto e acabam limitando suas vivências (e amizades, e assuntos, e interesses) a um mundinho bastante pequeno. Nada contra: não acho que o gueto seja desabonador e tenho até uma certa preguiça desses caras (que um amigo chama de "bofes de soja") que torcem o nariz e dizem "estou fora do meio". Só acho que não precisamos limitar tanto os horizontes. Senão, sem nos dar conta, acabamos nos tornando heterofóbicos, prejulgando que eles são todos jecas, cafonas, chucros, só falam de futebol... e deixamos de conhecer pessoas muito legais.

Em outro post, já falei sobre o Manual do Cafajeste (que ainda leio, embora já não me encante mais tanto com os textos). Hoje, vou indicar outros dois blogs. O primeiro é o Papo de Homem, na verdade uma espécie de revista virtual produzida por uma equipe fixa e colaboradores eventuais. Como eles pretendem tratar de um amplo leque de temas de interesse do homem agatê, nem sempre os posts mais recentes agradam. Mas fuçando nos arquivos, achei algumas pérolas, como um texto genial, em duas partes (1 e 2), que tenta explicar por que algumas mulheres gostam de levar tapas na cara. O texto vai fundo no assunto (sem ser chato), disseca os tipos de tapa e seus contextos, e ainda traz dicas para os leitores interessados em introduzir a novidade em casa e apimentar a relação. Além de bem escrito e nada machista, o post é totalmente aproveitável em transas gays, que muitas vezes (nem sempre) funcionam segundo uma relação de poder e divisão de papéis similar.

Como nas revistas clássicas, existem as colunas de aconselhamento que prestam socorro aos leitores: Dr. Love, Dr. Health, Dr. Cook, Dr. Money e Ladies Room (escrita por um time de mulheres). Todas são muito úteis, mas claro que é a primeira coluna que rende os melhores momentos, como quando um leitor suspeita que está sendo traído e outro sonha em ver a mulher sendo impalada por um cara bem-dotado. As respostas são inteligentes, sem esculhambação, mas também sem deixar o bom humor de lado. O único deslize do Dr. Love - responder ao leitor que levava cheque da namorada que a chuca não era indicada - foi prontamente corrigido pelo colega Dr. Health nos comentários. Outros posts que valem o confere são o Grey's Anatomy brasileiro, levinho e divertido, e "Como deixar ousada até a mais santinha" (partes 1 e 2) - surpreenda-se com um texto nada óbvio ou vulgar, gostoso de ler e inspirador, mesmo que não totalmente aproveitável do lado de cá do arco-íris.

Por fim, outro blog hétero de que gosto muito é o Cretino Lover, obra de um criativo escritor carioca. Basicamente, são contos que descrevem histórias de sedução e conquista. O protagonista, alter ego do blogueiro, é o típico não-galã que precisa rebolar para garantir o seu filé. Em muitas histórias (mas não todas), ele começa a abordagem sem muitas chances, mas, com muito jogo de cintura e cara-de-pau, ele vai desarmando a presa, não desanima diante da resistência inicial, até que a ninfetinha-boazuda se encanta com o humor e a esperteza dele, baixa a guarda e ele papa o troféu (e aí vira conto erótico). Poderia ser um punhado de narrativas presunçosas e convencidas, mas o machismo porco dá lugar à inteligência, bom humor e uma fantástica presença de espírito - o cara é ágil e tem resposta pra tudo! Uma espécie de "malandro carioca do bem", um casanova antenado 2.0, um tipo que provavelmente não existe, mas rende ótimas histórias (como estas: 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8 e 9). Você pega um post às vezes gigantesco, mas a leitura é ágil, flui tão bem que você não larga o osso até acabar. Nada como alguém nos lembrar que o tal jogo da conquista não precisa ser tão levado a sério, cheio de regras, e que o importante é se divertir sempre, até com os foras. A sorte também sorri para os anti-heróis.

12 comentários:

Daniel disse...

eu também tento levar o meu blog meio alheio ao vuco-vuco do mundo gay. espero estar conseguindo.

tommie carioca disse...

Blogs feitos por gays e que abordam assuntos e aspectos da vida gay acabam atraindo gays, basta observar que a maioria dos comentaristas é de gays, e uma ou outra mulher hetero, mas raramente homens heteros. A não ser que estes estejam lendo no armário e nunca comentando. E sabe como eles são, salvando-se exceções, se esbarram em um texto sobre gays se desinteressam. Mas em tempos de auto-afirmação, os gays que abrem blogs parecem gostar de usar esse canal para libertar muitos pensamentos (e angústias) que lá fora ficam presos na garganta. Um blog feito por um gay que não fala de assuntos gays é do Zeca Camargo no G1, mas se bobear a Globo vem aqui e me processa por escrever isso.

Sprite disse...

Curiosamente conheci seu blog pelo guia de Buenos Aires sem nem desconfiar que você era, como meus amigos travestis chamam, "do babado certo". Depois ainda foi publicado no Destaque GLS do Sérgio Ripardo quando ele ainda era da Folha e a partir daí nunca saiu do meu leitor de feeds mas só agora estou comentando. Já conhecia o Papo de Homem e vou deixar uma outra recomendação, o blog Homens Modernos que conheci através de um amigo procurando por um manual de como ser homem e "deixar de ser pintosa".
Gosto do seu blog porque você tem um repertório de assuntos vasto, descreve de experiências (como os festivais na Europa) de forma diferente de outros lugares em que ouviríamos ou leríamos apenas o ego de seus autores falando. Quero dizer, aqui tem a vivência propriamente dita, não um "meme" de um gueto.

whateveeer disse...

Você sempre surpreendendo com posts cada vez melhores!

Boninho disse...

Eu ainda não defini sobre o q falar no meu blog...ainda meio perdido. Mas por enquanto tô mesmo falando da fase difícil que estou passando, ele tá bem pessoal...
O seu blog é ótimo!!! Parabéns ae!

Rubens Oliveira disse...

Eu também tento falar de tudo.

E quando vejo que não posso trazer algo de novo, e por não querer cair na vala comum, simplesmente não posto.

Simples assim.

Fabiano (LicoSp) disse...

Náo gosto muito desta mania de muitos gays de querer criar guetos, seja aqui no mundo virtual ou no mundo real, fica aquela coisa de gay chato que não sabe nem conversar com heteros.

Procuro o maximo nao ser assim em nenhum dos mundos.

Vou dar uma olhada nos blogs que indicou, um eu já li uma vez e curti bastante.

bjs do Lico

Pegante disse...

sua dica anterior sobre o Manual do Cafajeste eu achei ótima. Até repassei para umas amigas.

dessa nova leva, por motivos óbvios, fui direto no artigo sobre sexo e tapas. mas não me encantei tanto pelo texto como vc.
faltou a dica principal de como descer a mão sem correr o risco de levar o parceiro pro hospital [segura o rosto com uma mão e bate com a outra....]

Diógenes de Souza disse...

Eu tb nao gosto da hegemonia de assuntos, justamente porque há uma diversidade imensa deles que podem virar posts. No meu blog, quando não tenho o que postar, nao o faço. Mas acho que o caso do Doristo deve ser visto por uma perspectiva diferente.

Já li muito o Papo de Homem, junto com o Manual..., mas deixei de ler aquele quando eles escolheram como um dos seus melhores textos postados, um bem homofóbico, com argumentos pífios, que tratava do projeto de lei que criminaliza a homofobia. Posso estar exagerando, mas aquilo me incomodou. Agora, sem dúvida alguma, são duas dicas excelentes.

Thiago, espero que pelo menos a DOM deste mês chegue por aqui para ler sua reportagem mencionada pelo Tony Góes. A do Kayky só li por causa de um amigo assinante. Tenho certeza que não vou me arrepender.

Marco de BH disse...

Tô aqui só imaginando... a "invasão rosa" desses blogs agatês citados... já pensou na revolução que vc vai causar! rsrsrs
Excelente texto (só pra variar rsrs)
abraço saudoso

Alberto Pereira Jr. disse...

acho as classificações limitantes e concordo com você. O meu blog tb fala um pouco de tudo.. desde o mico da celebridade até alguma lei absurda, passando por moda, tv, cinema, vida gls, passeios, etc.. só porque somos gays não quer dizer que só sabems falar de festas e pegação né?

beijão

Airton Spengler disse...

Parabéns!! Ñ conhecia o teu blog, foi indicação de um amigo. gosto muito do teu texto, da agilidade e sem a pretensão de "tombar", confesso que não tenho muita paciencia para muitas leituras sobre o assunto mas com certeza Tu és um NEW POP. beijão
airtonspengler.blogspot.com