sexta-feira, 5 de junho de 2009

Parada também é reflexão e discussão

A Parada Gay virou um carnaval fora de época, foi desvirtuada, não tem mais caráter político, está hiperlotada, perigosa e impraticável, blá blá blá? Até concordo com muitas das críticas que são feitas, e em breve vou dar meu pitaco sobre isso. O que talvez muita gente ainda não saiba (especialmente os que vêm de fora) é que a "Parada" não é apenas o desfile de trios elétricos na Avenida Paulista. Esse é apenas o ponto alto e mais visível de uma programação que acontece desde o início do mês - e, além de festa e jogação, também inclui eventos que dão oportunidade para a reflexão e a discussão sobre questões que são importantes para a nossa vida.

O Ciclo de Debates do 13º Mês do Orgulho LGBT começou anteontem e está discutindo, em vários espaços da cidade, os mais diversos temas de interesse da comunidade gay. Claro que há alguns assuntos mais áridos para quem não é da militância, mas também há debates sobre família, saúde, religião, psicologia, acesso à justiça, turismo e mídia gay. Ficou curioso? Então confira a extensa programação, que só termina em 19/6, aqui.

8 comentários:

André Mans disse...

só que 95% dos que vão pra parada nem sequer estão ligando pra isso...

Pegante disse...

e eu li sobre um outro evento paralelo:
segunda e quarta que vem se poderá realizar gratuitamente testes rápidos de HIV no Conjunto Nacional.
Prático para quem trabalha/mora perto da Paulista.

Diógenes de Souza disse...

Taí uma coisa de que se sabe pouco sobre as Paradas e a importância que elas têm. Pra completar, o único detalhe que ganha a visibilidade necessária para ser pautado pela mída, é justamente quando se torna a festa. Talvez nisso também resida a culpa dessa imagem não tão legal

isadora disse...

Passei um tempão ajudando a organizar esses ciclos, quando ainda era voluntária na APOGLBT. Por mais que se divulgasse e por melhor que fosse a programação, poucas vezes vi os debates lotados. Uma pena mesmo, porque o ciclo costuma ser muito bacana. A programação desse mês está ótima, deve ter sido uma tarefa hercúlea trazer esse povo todo. Espero que as pessoas compareçam, apesar dos horários e datas meio ingratos.

Klero disse...

como vivo fazendo isso no trabalho, acho que é hora de acordar: se a programação "paralela" não atrai, é melhor mudar o formato... achar que a atitude das pessoas vai mudar feito biogênese é pedir demais!

Adriano Queiroz disse...

É super importante a participação nestes debates, vozes e opiniões tem que ser somadas.
Estava bronqueado com a parada, ainda estou um pouco, mas acompanhei uns eventos com seus organizadores e vi muita seriedade e causas concretas, pena que na Av. Paulista isto não fique claro o bastante e que os frequentadores em sua maioria só queira beijar, beber e mostrar o corpo. Podemos fazer isto o ano todo, deveríamos usar este tempo para realmente agir politicamente.

Abraços.

ivanildo disse...

Bom nunca fui a parada tb nunca participei de nunhum debate especifico
Mas fico aki eu na minha cabeça pensando qual movimento que na atualidade desse Pais consegue junta 3 milhões de pessoas na paulista e com que objetivo fazem isso
pra conquista algun direito acho que não porque a plc 122 a indo por agua a baixo
Agora me pergunto como foi que os trabalhadores e trabalhadoras heterossexuais ou não conquistarão seus direitos ?
COmo acabamos com a ditadura militar ?
Creio eu eu que foi com muita luta com manifestação passeatas com protestos de fato não com festas

Anônimo disse...

a populaçao gay é muita pacifica. faz festa se divertem e acabam esquecendo a luta e seu ideal. na minha opiniao a populaçao tem que partir pra briga. queimar pneu no senado. fazer como fez os trabalhadores fazer greve ocupar espaços publicos. foi com isto que os trabalhadores conseguiram seus direitos. as mulheres queimaram os sutiãns. só pedir misericordia nao basta tem que ir a luta camar a atençao. usar mascaras como piratas e ir as ruas.