segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Belisquetes (cariocas) do momento

Fico admirado como o Rio de Janeiro - ou melhor, a Zona Sul - está se tornando especialista em inventar modismos gastronômicos. Não falo aqui de restaurantes, mas daqueles lugares pequenos, informais e descolados que se concentram em uma única comidinha e, sabendo vender o peixe, viram mania instantânea. Foi assim com as temakerias (que surgiram em São Paulo, mas viraram pop aqui, com a Koni Store) e com as casas de frozen yogurt (o número de imitações da Yogoberry em Ipanema já está beirando o ridículo), dois formatos que viraram febre Brasil afora. Mas outras ideias interessantes vêm pipocando pelo Leblon, como o bar de tapas Venga! (que eu já resenhei aqui), a kebaberia Yalla! (que não despertou minha curiosidade, mesmo sendo cria do tradicionalíssimo árabe Amir) e a Vezpa, que vende pizzas em pedaços com uma cara ótima, cheirinho de manjericão incluído.

No último feriado, fui para o Rio (pela 61ª vez na vida!) e, como não deu praia, tive que me contentar com as novidades gastronômicas. Primeiro fui ao Soba, que vem a ser um noodle bar, ou seja, uma casa especializada naquele macarrão oriental que serve de base ao Miojo e ao yakissoba. Eu já tinha visto um desses Barcelona (o Udon, fantástico) e torcia para ninguém levar o conceito para o Brasil antes que eu resolvesse abrir meu próprio negócio. Pedi o Osaka, que leva salmão, shiitake, nirá, gengibre e um toque de molho teriaki, e a-do-rei. Não consigo lembrar de outra comidinha de R$18 que seja tão bacana. Ótima pedida para aquele fim de semana em que você não pode gastar muito dinheiro. Além dos noodles, o cardápio tem pratos à base de gohan (aquele arroz japonês meio grudentinho) e umas entradinhas tipo dim sum. Supersimpático.

Minha segunda experiência foi o Go Wok, que se anuncia como "o primeiro restaurante casual thai do Brasil". Na verdade é uma portinha minúscula, espremida entre o Néctar e o Tô Nem Aí, em plena Farme de Amoedo. Funciona assim: você escolhe uma carne (bovina, frango, camarão, lula ou opção veggie), uma base (entre quatro tipos de macarrão e dois de arroz), um molho tailandês (ostras, tamarindo, teriaki, curry com leite de coco, chilli) e três ingredientes (shiitake, ovo, amendoim, etc.). Eles salteiam tudo na wok e te entregam num potinho de plástico com cara de Cup Noodles, pra você comer no exíguo terraço da casa, ou ir andando. É barato, não é rápido (para ser um fast food, a comida demora pra kct) e... bem, não fui muito feliz na minha escolha. O que veio de camarão e shiitake no pote inteiro não era suficiente para duas colheradas, o resto era arroz puro. Talvez se tivesse pedido com frango e uma base de noodles, eu teria pelo menos conseguido chegar ao fim do prato (joguei fora antes da metade).

Agora, gostei mesmo foi da Prima Bruschetteria, que nem é tão nova assim, mas eu não tinha ido conhecer. Outra ideia óbvia que ninguém teve antes: um lugar só de bruschettas (bem, se pão italiano não é a sua praia, tem uns 2 ou 3 risotos também). São vinte e tantas opções, algumas incríveis, como a de camarões, tomate italiano e pesto (perfeita!) e as invenções da semana, escritas numa lousa (comi uma de creme de gorgonzola, maçãs caramelizadas e nozes que era uma cô-de-lô, tomara que entre no meno fixo!). O lugar é uma graça, com pegada de bar e motivos quadriculados nas paredes, nas mesas e nas boinas dos garçons. E o sucesso estrondoso se repete quase todas as noites, quando uma multidão toma conta da calçada e come em pé ali mesmo, tomando uma taça de vinho, sem esquentar a cabeça (viva a informalidade carioca). Mas dá para fugir da muvuca, indo em horários alternativos (eles abrem às 10h, com bruschettas especiais de café-da-manhã) e até pagando menos (há combos promocionais no almoço e no lanche da tarde).

13 comentários:

HSLO disse...

hum...amo demais yakissoba...

abraços
de luz e paz

Douglas Mendez- O Homem é um ilha disse...

Lembra que eu disse q o go wok era péssimo? Teve que ver pra crer, né? :)

Daniel disse...

Comentário de mamãe: "O Thiago é quase tão bem informado qto eu. As bruschetas eu já conhecia. Mas esse noodle não me atrai."

Detalhe para o "quase tão bem informado". Mamãe é tão modesta.

Fernando Gouvea disse...

Vale a pena vc conhecer o La Cigale (se vc ainda não conhece), é pertinho de todos esses que vc gosta.
Abraço

Introspective disse...

Fernando: já ouvi falar por alto sobre o la Cigale, é um bistrô no final do Leblon, né? Um amigo disse que iria me levar para almoçar lá, que eu iria adorar. Mas não deu maiores detalhes... que tal?

Fernando Gouvea disse...

É muito bom, poucas opções mas tudo perfeito. É a quilo mas nem parece, tem cara de bistro francês todo de madeirinha vermelha. Se o seu amigo demorar muito a te levar vc pode contar comigo. Trabalho bem pertinho de lá e vai ser um prazer te apresentar o La Cigale.
Gosto de gente que gosta de comer bem, geralmente é gente de bem com a vida e ótimo papo.
Abraço

Gégé disse...

Deveria conferir a Amazônia Soul na Teixeira de Melo, 37

http://vejabrasil.abril.com.br/rio-de-janeiro/roteiro/comidinhas-5773

açai original do Norte...sopa de tucupi e... sorvetes de bacuri, cupuaçu e taperebá. Adorei

K. disse...

Eu já estou com urtiga (nevermind) pra ir pro Rio e venho aqui ler isto?

Mas... japa no Rio? Eu desconfio até a morte... Em São Paulo já é uma raridade algum bom!! E, como diz minha tia, restaurante japonês bom é aquele que tem mais japonês do que ocidental... No Rio isso é praticamente impossível ;-)

Introspective disse...

Não desconfie até a morte! Claro que no Rio (como em todas as outras grandes capitais brasileiras) comida japonesa virou hype e rendeu um monte de casas ocidentalizadas da moda. Mas existe pelo menos um endereço 'de raiz', onde se encontram mais japoneses que ocidentais, e ninguém imagina o que seja cream cheese: o Azumi, na Ministro Viveiros de Castro, na região do Lido, em Copacabana. Vá lá e depois me conte. Bjs!

Rafa disse...

Adoro quando vc fala bem da cozinha da minha cidade! rsrs...
Passando aqui pra agradecer a dico do Brocolino em Buenos Aires. Estive lá semana passada e achei a comida muito boa, o atendimento muito amistoso, a casa bem familiar.
Não sei se vc conhece, mas na próxima viagem vale a pena ir no Café san Juan em San Telmo. Pratos aregentinos/ italianos muito bem feitos. O melhor bife de chorizo da viagem. Abç!

Antonio de Castro disse...

todos os japonês daqui do rio são de nordestinos

na falta de um melhor...
essa história de frozen yogurt me dá nos nervos. da noite pro dia virou uma moda!

mas as temakerias eu ainda frequento. é rápido e barato.
gostei das dicas. de um paulista p um carioca

railer disse...

adorei a dica! quero conhecer!

quando estive na itália em abril meu amigo me ensinou a fazer bruschetta legítima e eu virei fã!

Gringasafada disse...

http://vejabrasil.abril.com.br/rio-de-janeiro/roteiro/craques-da-boa-mesa-5968/

a edição especial "Comer & Beber" de VEJA RIO anunciou nesta quinta-feira os campeões de 41 categorias entre restaurantes, vinhos, bares e comidinhas.