quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Maceió, a usurpadora

Quando penso em Nordeste, a imagem que vem à minha cabeça é a de uma praia de beleza rara, com águas cristalinas contrastando com um céu muito azul, e ornada por uma fileira de coqueiros bem altos. Corpos morenos, sotaques carregados, caipiroskas, simplicidade, preguiça e hedonismo à beira-mar. Pode até ser que essa visão seja um reducionismo tipicamente sudestino, mas é isso que eu espero encontrar quando resolvo embarcar numa viagem para aquela região. Ao mesmo tempo em que eu busco um refúgio tropical, também gosto de ter certas comodidades urbanas - especialmente bons restaurantes, para terminar meus dias de praia com uma comidinha especial. É por isso que meu olhar explorador começou pelas capitais.

Em viagens anteriores, Salvador, Recife e Natal mostraram seus encantos, cada qual à sua maneira. Mas todas elas perderam um pouco do brilho depois que fui conhecer Maceió. Quando o assunto é praia urbana, a capital de Alagoas dá de dez. O mar de Ponta Verde tem uma tonalidade turquesa que eu só achava possível no Caribe. Não bastasse isso, são águas tranquilas (bem diferentes do Walita-Master-Super-ligado-no-Créu-5 que é Ipanema) e em temperatura realmente agradável para o banho (incomodava ficava a sua avó, que tremia de frio em Floripa). O calçadão é todo novinho, recortado por jardins e uma ciclovia que percorre toda sua extensão, revelando lindos panoramas. Mesmo sendo urbana, a praia tem trechos muvucados e outros mais tranquilos, sempre enfeitados por coqueiros. É tudo tão mais bonito que cheguei a ficar com pena das outras capitais.

Claro que toda "trip Nordeste" que se preza inclui cruzar os limites da capital e explorar as praias mais afastadas. Salvador é ponto de partida para várias (Morro de São Paulo, Praia do Forte, Imbassaí, Barra Grande, Boipeba), Natal tem Pipa e Galinhos, Recife foi praticamente engolida por Porto de Galinhas. O litoral alagoano tem muitas opções, com um bem-vindo diferencial: a praticidade. Tudo é muito mais fácil, perto e rápido do que nas outras capitais. Está viajando sozinho e não quer gastar mais de R$100 por dia com carro alugado? Dá para explorar os litorais norte (Guaxuma, Ipioca) e sul (Francês, Barra de São Miguel) usando ônibus urbano, por apenas R$2,50. Se preferir mais conforto, passeios em grupo saem a módicos R$20 por pessoa (a praia do Gunga, por mais mainstream que seja, é de uma beleza ímpar). Dá para passar a semana conhecendo uma praia diferente por dia, sem enjoar.

Depois de um dia de muito sol e deliciosos mergulhos, nada como repor as energias com um bom jantar. Como capital que é, Maceió não decepciona, com excelentes restaurantes, que vão do brasileiro e regional (Bodega do Sertão, Divina Gula, Canto da Boca) ao cosmopolita (o italiano Massarella, o japa-cool Takê e o buxixado contemporâneo Wanchako, que já causava auê com seus ceviches muito antes do hype peruano chegar a São Paulo). A digestão, você faz com uma agradável caminhada pelo calçadão da Ponta Verde, sentindo a brisa do mar e vendo o vaivém de nativos e turistas - que passeiam, tomam sorvete e bebericam nos bares, numa gostosa celebração do espaço público que já se tornou inviável em cidades maiores.

Aí está outra vantagem de Maceió: oferecer as facilidades urbanas básicas sem perder um certo ar pacato, interiorano. A região onde o turista circula é pequena, gostosa e segura. Esqueça o trânsito, os deslocamentos e as preocupações das outras capitais: ali você faz tudo a pé e realmente entra no clima de férias. Apesar de Alagoas ser um dos estados mais pobres e desiguais do país, o turista não sofre o assédio infernal de pedintes, vendedores e malandros que empesteiam Salvador. Dá para andar na praia à noite, ver as estrelas e até se engraçar com alguém ali mesmo, sem grilos. Como nem tudo é perfeito, Maceió fica devendo em termos de baladas [vou analisar melhor os prós e contras no Sobe-e-Desce de Maceió, um dos próximos posts] mas, com tanta praia bacana e um belo amanhecer às 4h40, é melhor negócio levar uma vida diurna e deixar para cair na jogação em casa.

No fim das contas, Maceió superou todas as expectativas e fechou minhas aventuras com chave de ouro, como a melhor viagem de 2009. Pretendo passar pelo menos uma semaninha por ano ali. Até porque Alagoas tem muito mais a se explorar: não só praias menos manjadas (Coruripe, Carro Quebrado, Porto das Pedras) como outros tipos de passeio (a cidade histórica de Penedo, a foz do Rio São Francisco). Ainda vou conhecer o Ceará antes de dar meu veredito final, mas Fortaleza vai ter que rebolar muito se quiser levar o troféu. As outras capitais têm predicados indiscutíveis, mas, por enquanto, Maceió é meu novo destino preferido do Nordeste.

[FOTOS: (1) o mar turquesa de Ponta Verde, impensável para uma praia urbana; (2) o sol nascendo às 4h40 da manhã; (3) praia do Gunga, passeio que mais chama a atenção dos turistas; (4) sushizinho esperto do Takê; (5) água cristalina em Barra de São Miguel; (6) uma simpática maria-farinha no fim de tarde em Ipioca]

13 comentários:

Fernando disse...

Oi Thiago,

Como de costume um post perfeito para descrever um local (atrações, atmosfera, etc). Deu até pra matar as saudades e aumentar ainda mais a vontade de voltar. Engraçado que na véspera da viagem você pensou até em encurtar sua estadia em Maceió e esticar Recife(hell?)rsrs.

Sinceramente, acho difícil Fortaleza superar Maceió no topo da sua lista. João Pessoa pode igualar em matéria de belezas naturais, Teresina nem deveria contar como nordeste e Aracaju... na minha opinião é meio "ilha de lost": para visitar só se o avião cair.

Que bom que você curtiu a viagem e desculpa pelo comentário longo (capacidade de síntese ainda não é meu forte) rsrs.

Abração!

Blog do Dirceu disse...

a Praia do Gunga é o que existe de mais lindo em Maceió... toda semana eu pegava um barco e ia pra lá, vale a pena não é... beijao, saudades.

João disse...

Espero q esse seu deslumbramento por Maceió permaneça por muito tempo e não acabe como o de uma amiga q foi assaltada por um ciclista em pleno calçadão à luz do dia. Nada que em SP, Rio ou Salvador não seja banal, mas o paraíso dos Collor exige cuidado e atenção também. Estive em Maceió duas vezes, não tive nenhum problema, mas para mim que vivo nos trópicos, cercado de belas praias, não vi nada demais!

Introspective disse...

João: querido, vira essa boca pra lá! Mas pode deixar que eu, como paulistano escaldado, sou incapaz de baixar a guarda completamente. Ainda mais com essa cara de gringo que eu tenho... Ah, vale dizer que os alagoanos se envergonham do Renan, mas se recusam a assumir Collor como patrimônio local: insistem que ele é do Rio de Janeiro! ;)

Leo Maia - Fortaleza disse...

Thiago,

Acho que você achará Fortaleza muito diferente de Maceió. A cidade cresceu muito nas últimas duas décadas e hoje essa tranquilidade que você tanto alogiou em Maceió, não se encontra mais por aqui. Mas ainda assim, praias maravilhosas para conhecer, umas perto e outras nem tanto, como JERICOACOARA (4HS de Fortal), mas imperdível, visto que está em praticamente TODOS os destinos mundiais de praias mais belas e pelo fato de ser um centro de todas as nacionalidades, visto que o que você mais escuta falar por lá é inglês, espanhol, francês, etc, mais que o nosso português, tamanho o número de estrangeiros que se encantou e resolveu fincar moradia por lá.
Mas Fortaleza tem seus encantos, só que merece olhos atentos quanto à segurança, assim como outras grandes cidades nordestinas como Recife e Salvador.
Quando você estará por aqui? Se quiser um city tour pela cidade, conte comigo. Sou leitor assíduo de seu blog há tempos e terei o maior prazer.
Qualquer coisa, me escreve: lmaia@hotmail.com.
Forte abraço!

Raul Aguilera disse...

Putz, que pena que Maceió não tá no meu roteiro deste fim de ano. Mas numa próxima vou lá e Aracaju. :D
Te vejo em SP; :***

Daniel disse...

Não falei que você ia se apaixonar por Maceió?

deco disse...

Mais uma vez concordo contigo.Maceió tem as praias mais lindas. A cor do mar é sem igual comparando-se com outras capitais litorâneas brasucas.Abrs

Diógenes de Souza disse...

Você foi à Pajuçara? Acho que é uma das mais lindas praias alagoanas... Acredito também que vc vai adorar a foz do rio São Francisco em Piranhas. A cidade transpira história e o rio dispensa predicados. Só conferindo!

Mas ainda prefiro a minha Aracaju! XD

dudufs disse...

Ok.. Maceió é muito bonita, mas a Foz do São Francisco é melhor você tomar Aracaju como ponto de partida. Tudo bem que a capital de Sergipe não tem as praias tão belas quanto Maceió, mas tem fácil acesso a Mangue Seco (Tieta) e à Praia do Saco.

De Aracaju também é possível fazer o passeio para o cânion de Xingó.

Só uma informação Di, acho que vc confundiu Piranhas (que faz divisa com Canindé/Xingó) com Piassabuçu, que faz divisa com Brejo Grande/ Foz do Velho Chico).

Abraço, aproveite Maceió, e quando puder dê um pulinho em AJU ;)

beto disse...

seu entusiasmo por Maceió está me convencendo a tentar um segundo olhar pela cidade.
como fui há mais de 15 anos e o Nordeste teve um crescimento econômico muito forte nesse período, pode ser que as coisas tenham mudado muito.

pois de todas as capitais praianas nordestina (só falta conhecer JP), odiei justamente Maceió. achei Pajuçara um horror de praia urbana e fui brindado com pedintes com saco plástico pedindo que eu tirasse comida do meu prato para dar a eles. quem consegue terminar uma refeição tranquilamente depois de algo assim?

não, não sou um alienado completo, mas em férias realmente não tenho interesse em ver pobreza... não sou como turista europeu que faz excursão à favela carioca ou Soweto, como se fosse olhar animais exóticos no seu habitat.

me junto ao coro: dados os critérios que vc usou, não tem como Fortaleza te agradar mais, pois as praias na cidade em si são bem fraquinhas. as boas estão a umas boas dezenas de km. mas eu sempre me divirto muito por lá!

Luca Lourinho disse...

Esses restaurantes fusion no Brasil me fazem amar o pais maravilhoso ainda mais...adoro ceviche peruano e comida japonesa...obrigado amigos nisei por emigrarem e nos proporcionarem esses quitutes...as b agradecem todas

Adriana disse...

adorei o seu blog! visitarei mais vezes! conheceu o restaurante/barraca de praia Hibiscus na praia de Ipioca? é demais!