sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Torero Valese: espanhol bom e barato

Um grupo de restaurantes do Itaim Bibi, em São Paulo, resolveu pegar carona no sucesso da Restaurant Week e criou um evento parecido, chamado "Temporada de Verão no Itaim", que acontece até o dia 31. As casas La Tambouille, Bar des Arts, Porto Rubaiyat, Sallvattore, Thaï Gardens, Freddy, Quattrino Itaim, Eñe, Sassá Sushi, Torero Valese e Picchi se propuseram a criar "pratos leves e coloridos a preços mais acessíveis"; o menu com entrada, prato e sobremesa sai por R$55. Considerando a faixa de preço habitual dos participantes, de início a ideia me pareceu atraente.

Quando consultei os cardápios no site do festival, porém, vi que algumas casas usavam o pretexto do "verão" para oferecer pratos quase hospitalares, tipo salmão com legumes. Estava explicado de onde vinha a economia. Mas minha mãe e eu nos interessamos pelo menu do Torero Valese, um pequeno restaurante espanhol escondido na Rua Horácio Lafer, e resolvemos conhecer o lugar. Tivemos uma ótima impressão.

A entrada do menu do festival veio em três pratinhos quadrados, na forma de tapas: um com macias lulinhas à vinagrete, outro com algumas fatias de um embutido típico (era para ser uma pasta de queijo roquefort, mas minha mãe, que não come queijo cru, pediu para substituir) e outro com uma porção de "tomate catalão", trituradinho na ponta da faca com alho, sal e azeite, para se comer com pão (o famoso pa amb tomàquet da Catalunha). A porção era bastante generosa, especialmente em comparação com o que se costuma praticar na Restaurant Week.

Depois, havia três opções de prato principal: Paella a la Marinera, Arroz de polvo e camarão à moda Torero ou Medalhão de filé mignon ao molho de cogumelos silvestres. Minha mãe escolheu a paella, e recebeu outro prato sem miséria, bem servido de frutos do mar. Eu ia escolher o medalhão, mas vi que o cardápio normal tinha muitos pratos tentadores, todos na faixa de R$25 a R$35, e acabei pedindo fora do festival. Depois de muita indecisão, comi um frango recheado de jamón crudo com risoto de queijo e aspargo. O sabor era agradável, mas eu não repetiria o pedido, diante de tantas opções interessantes (não adianta consultarem o menu no site do restaurante, que está desatualizado). Nas mesas vizinhas, a apresentação dos outros pratos era muito convidativa.

Fechamos dividindo a Torta Barcelona (torta gelada com bolacha de amêndoas, chocolate branco, chocolate meio amargo e farofa) que fazia parte do menu do festival, e nos animamos a voltar outras vezes. Com luz baixa e pegada de bar, o Torero Valese é um lugar gostoso, sem grandes pretensões e com preços bastante honestos, mesmo fora do festival. Numa cidade em que a culinária espanhola custa caro, polarizada entre o tradicional Don Curro e o vanguardista Eñe, um lugar mais informal para comer tapas com os amigos é uma novidade muito bem-vinda.

5 comentários:

Anônimo disse...

Amiga... vc abandonou o projeto verão 2010? pelo menos em grande estilo!
Marcio

Introspective disse...

Abandonei nada... tanto é que eu comi apenas 25% da sobremesa ;)

beto disse...

mas enquanto vc achar que salmão com legumes é "quase hospitalar", vc vai ter que brigar e fazer "sacrifícios" por causa da equação calorias ingeridas x calorias gastas numa vida normal!

só pq um prato não vem carregado de queijo catupiry, presunto ou similares e gorduras nas mais diferentes formas, isso não quer dizer que ele seja quase hospitalar... para mim, um prato quase hospitalar é aquele que vai entupir minhas artérias, ajudar a causar um ataque cardíaco antes dos 50, jogar a pressão lá nas alturas, aumentar meu risco de virar diabético, sem contar os kgs extras (que, depois dos 30, somem com MUITO mais dificuldade).

existe prazer alimentar fora das bombas calóricas tb, acho que vc poderia abrir um pouco a mente nesse aspecto!

mas valeu a dica: precisamos de um espanhol que não tenha preços de Oslo para nossos padrões.

Anônimo disse...

maravilha de manifestacao popular...
chamou todo mundo no cantinho
adoreiiiiiiiiii

Introspective disse...

Beto: Eu não discordo que um prato pode ser interessante sem ser carregado de presunto, catupiry e similares! Existe uma infinidade de receitas que conseguem ser leves, saborosas e surpreendentes. Mas... para isso é preciso se esforçar para inovar, ousar, ir além do absolutamente trivial. Um filezinho de frango ou uma posta de salmão com legumes no vapor É COMIDA DE HOSPITAL, SIM.