terça-feira, 1 de março de 2011

Baianizer

Escrevo este post na maior correria do mundo. Estou tentando dar conta das últimas pendências no trabalho, para poder sair depois do almoço e cruzar a cidade (alagada) até o aeroporto de Guarulhos. Meu Carnaval começa hoje, e dessa vez vou romper com o tradicional rodízio entre Rio de Janeiro e Florianópolis. Neste ano que está sendo marcado por tantas novas experiências, chegou minha hora de finalmente conhecer o Carnaval de Salvador. Vou cair na folia e depois dar uma descansada por lá até o dia 13.

Assim que confirmei a viagem, saí à caça de informações para poder montar minha programação. Conheço bem a cidade, mas sou totalmente leigo nesse assunto: se me pedirem o nome de três músicas de axé, vou saber dizer "Arerê", "A Dança do Vampiro", "O Canto da Cidade" e olhe lá. A festa baiana é um emaranhado de blocos e camarotes, espalhados por três circuitos diferentes, ao longo de seis dias (na Bahia, o babado começa já na quinta). É preciso pesquisar um pouco para entender as sutilezas, qual o tipo de público, se é mais friendly, se vale ou não a pena, e então tomar as decisões e comprar os respectivos abadás. Até porque é tudo caro pra cacete: para entrar na cordinha do Coruja, o bloco de Ivete Sangalo, pagam-se escorchantes R$650 por dia! E tem muita gente que compra os três dias e paga sem reclamar, jurando de pés juntos que é uma magia toda mágica, algo que não tem preço, que só vivendo para entender.

Engana-se, porém, quem pensa que o Carnaval de Salvador se resume ao axé. Existem trios com outros estilos musicais, desde as clássicas marchinhas até rock, reggae e música eletrônica - neste ano representada por nomes como Armin Van Buuren e David Guetta. Outro equívoco, reforçado pelas transmissões da televisão, é pensar que nessa festa só os héteros se dão bem. O bloco Crocodilo, capitaneado por Daniela Mercury, tem maciça presença gay. A fama do Crocodilo é tanta que muitos nativos, não querendo ter seu filme queimado numa sociedade onde as coisas acontecem por baixo do pano, acabam migrando para outros blocos, como o próprio Coruja, onde se jogam do mesmo jeito, no meio da multidão. Para quem prefere fazer a linha barbie-túrica, sábado será dia da Pool Party Salvador, com produção caprichada e Offer Nissim e Ana Paula no som - uma festa que promete não ficar devendo às similares do Sudeste, e será emendada num bloco eletrônico (Liberty) que percorrerá o circuito Barra-Ondina.

É claro que vou conferir a programação GLS, que ainda contará com o camarote Vipado, do fofo Ailton Botelho [informações aqui] e as madrugadas do repaginado clube San Sebastian, que funcionará em clima de after. Mas confesso que estou até mais curioso com os blocos não especialmente direcionados, como o de Ivete, que fazem a cabeça de verdadeiras multidões. Nunca fui muito fã do estilo, mas não ficarei admirado se, de repente, eu me pegar dançando e cantando junto, e simplesmente me deixar levar. Tudo pode acontecer. Estou embarcando nessa para me surpreender - coisa que certamente não aconteceria no Rio ou em Florianópolis, onde as mesmas festas trarão os mesmos DJs nos mesmos dias da semana dos anos anteriores, e a única novidade será tocar "Born This Way" no lugar de "Bad Romance". Bom carnaval a todos! Segurucu!

16 comentários:

Daniel disse...

650 reais CADA DIA????
e ainda tem gente que reclama dos ingressos da TW de Floripa.
é o preço da magia, não é? A festa mais popular do mundo nas capitais mundiais do carnaval não seriam exatamente de graça, né?

Thiago Lasco (Introspective) disse...

Pois é, meu caro. R$650 por dia, e só pra sorrir, ou seja, dentro do cordão do trio não tem open bar. Mas também esse é um dos blocos mais caros (mas não "o" mais caro: o do Chiclete com Banana custa mil e cacetada por dia. Nem preciso dizer que só dá pauli$ta$ e carioca$).

beto disse...

sou sempre a favor de conhecer coisas novas, entre no clime e divirta-se!

por pouco não te encontro na Bahia. mas achei os preços estratoféricos (hotel e abadás) e cheguei a conclusão que minha veia carnavalesca-axé não comporta esse investimento.

agora, o mesmo comentário que vc fez sobre carnaval em Floripa etc... tb vale para Salvador, ou para qualquer evento anual. Só muda o sucesso do ano anterior pelo sucesso do momento...

Por isso, eu gosto de variar, às vezes passo Carnaval/Reveillon em lugares onde não tem nada disso (por exemplo, Buenos Aires - não fica tão vazia como vc gosta de dizer, sempre tem muita coisa pra fazer...). E, depois, volto revigorado para aproveitar o sucesso do outro ano... Só não vale ficar muito blasé já aos 30 e poucos anos... ainda tem mais uns 50 pela frente...

Rafa disse...

Carnaval em salvador? Axé?

Passo.

Mas divirta-se!

Anônimo disse...

Sempre detestei carnaval e músicas bahianas; curto house e não tem jeito.
Mas depois de inúmeros convites feitos por amigos de SSA resolvi conhecer essa maluquice. Entre camarotes de celebridades, blocos (barra-ondina/campo grande) e até mesmo na pipoca me apaixonei pela alegria e a vibração dessa festa.
Voltei no ano seguinte e vi que era tudo uma grande ilusão. A cidade fica um lixo, fedendo a mijo, e é um calor dos inferno. Sem contar que fica muito mais violenta que de costume. Assaltos são rotineiros e na cara dura.
O lado bom é que tem cafuçus soltos pela cidade inteira e no carnaval todos eles fazem a linha "gente que faz". No crodó acho que beijei uns 30 em uma noite.
Carnaval em SSA é diversão e cafuçus garantidos.
Volto sempre pra lá mas prefiro Salvador em baixa temporada.

pop disse...

Noooossa !!! Só de ler o post já estou exausto !!!

Fábio disse...

C - R - U - Z C - R - E - D - O!!!!!!!!!!!!!

SOCORRO!!!!

Estive em SSA mes passado e achei a cidade um LIXO!!!! Piorou muito desde a ultima vez. Fico imaginando no carnaval. E axé music não se comenta né....

Lord Vader disse...

Sou editor do blog Ensaios e Manifestos e de passagem por aqui , gostei do teor dos textos. Gostaria de convidar o autor a conhecer a proposta e o teor do blog , assim como está convidado a nos enviar um texto de tema livre para a postagem , dentro do espírito do Blog de ser um banco de idéias , ensaios e manifestos
www.ensaiosemanifestos.blogspot.com
[ ]s !

Titia disse...

RSSS a ta! O "axé" vai ser outro, nao aquele da Ivete, mas daqueles morenos-délicia em que vc vai esbarrar em tudo que é lado! Me engana nao :-)))

Bee do bem disse...

Esse lance do carnaval dentro do cordao faz muito apartheid, tipo embaixada do Murumbi! Prefiro a "pipoca" quente do povo baiano ao lado!

ludo disse...

A magia é incrível. Mas esses blocos tops é como uma micareta na Daslu.
Se jogue nos intermediários onde o povo festeja de verdade e vai ter gente de todo o pais.
Eva, Jammil e Claudia Leite. Além de Daniela pela questão gls.
Se quiser pegar pipoca, a dica é não ficar ao lado do trio e pegar no barra ondina depois do morro do gato. A Oceanica junta com a Pres. Vargas e fica super espaçoso. Pelo menos assim estava no ano passado.

cassio disse...

"magia toda mágica" já é uma das frases do ano.

Wans disse...

Deve estar BA BA DO, né? Conte tudo quando voltar.

Cara do ES. disse...

Pois então, sinceramente não curto muito o carnaval no lado do nordeste.
Sinceramente tb, achei um preço absurdo. Enfim, se divertiu bastante? Ah, o ítalo.zip.net foi pra lá tb?
Abraços!.

André Mans disse...

É que vc não viu quanto custa o Me Abraça... algo em torno de 800! Hahaha.

Diego Silva disse...

Disse tudo. Em Floripa não houve nada diferente de anos anteriores. Os mesmos Djs, o mesmo público e Lady Gaga reinando novamente.
Passa lá no meu blog e dá uma espiadinha:
www.sempretudoaqui.blogspot.com