quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

Rapidinhas da gula carioca

SEI LÁ, MIL FRUTAS. Adoro quando alguém me faz gostar de ingredientes que normalmente eu não comeria. No Rio, me rendi à ousadia do sorvete de uva roxa com coco verde, estrela entre os novos sabores criados pela Mil Frutas para este verão. Tem pedacinhos das duas frutas misturados à massa, é refrescante e doce na medida. Mas meus prediletos dessa casa - que nunca cansa de inventar novidades - continuam os de sempre: chocolate branco com maracujá, brigadeiro (com brigadeiro mole, hummm), goiabada com queijo (outro milagre, já que eu de-tes-to goiabada) e cheesecake. Sim, é mais caro do que Häagen-Dazs, mas quem disse que produtos brasileiros de qualidade não têm o direito de custar caro?

GUERRA DOS CONES. Nesses dias de sol a pino e pressa para curtir logo a praia, aproveitei para conhecer e comparar as duas temakerias que disputam o público de Ipanema na Rua Farme de Amoedo. A Koni Store chama a atenção primeiro, com seu ambiente moderninho e alaranjado, mas decepciona: o serviço é desastroso (quinze minutos depois, percebi que não haviam sequer anotado meu pedido) e os temakis não empolgam muito. Menor e mais discreta, a concorrente Yiá! é melhor em todos os sentidos: o atendimento é fofíssimo, os recheios são mais fartos, saborosos e criativos - e você pode pedir os cones em dois tamanhos, de acordo com sua fome.

SEGREDINHO DO CENTRO. Quem se permite sair um pouco da Zona Sul e explorar o Centro do Rio encontra boas atrações culturais como o Teatro Municipal, o CCBB (mais antigo e maior que o de SP), a Casa França-Brasil e o Paço Imperial. Para fechar o passeio com chave de ouro, não dá para deixar de ir ao Cais do Oriente, um verdadeiro tesouro escondido na Rua Visconde de Itaboraí. O amplo casarão com pé-direito altíssimo e um gostoso pátio abre para almoço e jantar e investe em culinária contemporânea, com influências brasileiras e asiáticas. Entre tantas boas pedidas, imperdível a sopa de camarões com especiarias, macarrão chinês, leite de coco e broto de soja - e olha que também não sou muito de sopa, ainda mais no verão carioca...

BEST QUICHES FOR THE NEW YEAR. As melhores quiches da cidade sempre foram as do Ateliê Culinário. A base do recheio é tão saborosa quanto o ingrediente principal e desmancha na boca junto com a massa. O café próprio que eles mantinham na Rua Dias Ferreira (com serviço péssimo, diga-se) fechou, mas eles abriram outro, num lugar ainda mais charmoso e próximo para quem vive flanando por Ipanema: a Casa de Cultura Laura Alvim. O café fica nos fundos da casa, num pátio aconchegante, e serve todos os belisquetes e guloseimas que fizeram a fama do Ateliê: as conhecidas quiches e fritatas, boas saladas e sanduíches, a mud cake... Uma ótima idéia para o fim da tarde, se você quiser algo mais intimista que o fervido Cafeína.

NHAM-NHAM-NHAM! Voltei ao Miam Miam - o restaurante da tal "comfort food" em Botafogo - e constatei que a cozinha continua cheia de bossa. Entre os pratos principais, todos os meus preferidos continuam no cardápio (moqueca de peixe e camarão ao molho de curry, risoto de grãos e cogumelos frescos, picadinho de mignon). Já as sobremesas foram todas repaginadas. Perdi minha favorita (terrine de chocolate em sopa de pistache), mas ganhei outras três fortes candidatas: o trés leches (bolinho de baunilha embebido em calda de Bailey's, com chantilly de framboesa, levíssimo), o crumble de banana (compota morna de banana, com farofa crocante de pecan e aveia e sorvete de canela) e os insuspeitos mini-churros (!) com calda de doce de leite. Ainda bem que em Botafogo não tem praia.

TIO SAM NÃO, TIO PEPE. Os turistas da Zona Sul que conhecem pouco a Barra da Tijuca imaginam que tudo ali siga a linha americanizada dos open malls, como o Downtown e o New York City Center (será que o Aldo Rebelo vai mandar demolir aquela Estátua da Liberdade?). Mas ali estão algumas das boas surpresas gastronômicas da cidade. Desta vez fui conhecer o Borsalino, um restaurante italiano escondido numa linda pracinha com chafariz, nas imediações do Jardim Oceânico. O cardápio tem massas, carnes e peixes com acento mediterrâneo - uma das sugestões, o linguini "Dom João de Orleans e Bragança", leva creme, salmão, camarões, cogumelos e abobrinhas ao curry. Uma delícia sentar nas mesas da varanda, tomar um bom vinho branco e deixar a brisa carioca embalar a conversa. Bom para aquele jantarzinho "off-fervo".

E A INVASÃO PAULISTA CONTINUA. Desta vez foi o bistrô francês Le Vin que, depois de três endereços em São Paulo, resolveu abrir sua primeira filial carioca. Honestíssimo, ele passa longe dos preços extorsivos de outros restaurantes de sua especialidade. O steak tartare, o filé ao molho mostarda e as sobremesas valem a visita. No Rio, o bistrô funciona numa simpática casa com fachada de pedra, na Rua Barão da Torre, pouco antes da esquina com a Garcia d'Ávila, considerada por alguns a "Oscar Freire de Ipanema".

8 comentários:

Tony Goes disse...

Uai, não vai falar da volta do Fellice? Talvez porque não haja nenhuma novidade: tudo exatamente igual como era há alguns anos atrás.

Ah, e o Ateliê Culinário também está instalado (num espaço muito maior que o do Laura Alvim) no novo cinema do Shopping da Gávea, num último andar que antes nem existia. A programação é ótima, a comida idem, e fica pertinho da minha casa. My life has just got better.

André F. disse...

Já foi no Malenki? Fica na loja contemporaneo, entre a maria quitéria e a garcia. Tuuuudo de bom...

Lúcia BL disse...

salut!

então, o melhor bolo (ou merengue) de chocolate do mundo é delicioso. eu peço o meio-amargo e o acompanho com um macchiato. o café e a barista são do suplicy. fica in-crí-vel!

menino, tô amando muito esse diálogo sobre mundo cruel. escrevi uma resposta mas ficou do tamanho de um post.

precisamos é fazer LOGO um café filosófico, isso sim!

beijo grande

Leo Lazzini disse...

ow queridao, fiquei emocionado hehe primeiro foi a troca de emails com tony goes, agora a mensagem sua hehe minha psicologa adora quando meu olhinho brilha, mas esse lance de ser fofo tem hora que fode viu (bonzinho soh se fode)... vou colocar um post la em sua hmenagem que vc vai ver o que eu passei um tempo atras...

BH eh bacana mesmo. soh quando eu fiz intercambio aprendi a ama minha cidade - e aprendi que mineiro tem sotaque, que ate entao eu jurava de peh junto que a gente falava um dialeto neutro. mas boa mesmo eh sua cidade neh nao?! noooossa, amo sao paulo.

ah, pensei que vc tinha brigado comigo depois do post que eu falo do muleque que queria que eu desse uma mijadinha hehehe brigou nao neh?! :D

bjao cara

JAYME NETO disse...

verdade thiago...

criança eh imã de homem...homem familia ainda por cima! quer melhor!

hahahahahahaha

pena nao ter achado um site q entregasse criancinhas somalianas em casa!

ps:sou fanzaço do blog...to sempre por aqui!

Marcelo Oliveira disse...

Fala Thiago,

Marcelo quem fala. Bom, na ída a primeira Pool Party da The Week peguei um taxista que me deu dicas cariocas de onde se comer. Segundo ele, lugares onde você vai comer e não pagar pelo lugar e pessoas que estão lá.
Me pareceu tentador, no entanto, todos os lugares eram um pouco distantes e portanto não soube no final se ele queria ganhar corridas ou se a comida é boa mesmo. Mas de qualquer forma, vamos lá:
Comida Brasileira - Mercado São João - Centro. Pela descrição do Almeida parece que é um mercado municipal reformado em uma praça de alimentação de comidas de todos os lugares do Brasil.

Frutos do Mar - Lagoa da Barra - Restaurante Vista Alegre - de acordo mais uma vez com o cabdriver a melhor sopa de Frutos-do-mar que se pode achar na capital Fluminense.

Carne-de-sol. Restaurante Cajoeiro em São Cristóvão. Lá tem manteiga de garrafa, farinha e uma carne que desmancha no garfo.

Nunca tinha ouvido falar de nenhuma dessas opções. E por serem fora do circuito Zona Sul, me interessei. Como suas raízes e frequência ao Rio são mais fortes que as minhas. Achei que valia a pena passar a dica, vai que alguma delas realmente é um tesouro perdido...rs.

Bjs

André Mans disse...

sou todo novato no quesito rio de janeiro... prometo explorá-lo mais.

Clebs disse...

Se me permite comemtar:

1 - Mil frutas é uma das mil maravilhas que o rio tem! É tão pop que irrita de tão cheio.

2 - Eu já viciei nesse cones!!!A Koni Store da Farme precisa realmente de ajustes, já tem uma outra no Botafogo escada shopping que funciona melhor e no centro existem algumas derivações da Koni que servem cones com PF e chop...gosto e serviços questionáveis.

3 - O Cais do Oriente é muito legal mesmo, e o melhor: é multi-uso... acontecem desde almoços/jantares até festinha de uma galera moderninha que adora o Cais...passando por festas de empresas e show intimos. Fui a uma festa bem bacana e há muito tempo atrás ver aquela Nalanda cantar lá.

Carnaval no Rio!?