sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Rapidinhas do fim de semana

ÔLHA O PASSARRINHO Uma dica para aficcionados por fotografia é a exposição de fotos do francês Henri Cartier-Bresson (1908-2004) no SESC Pinheiros, dentro dos eventos do Ano da França no Brasil. Considerado um dos pais do fotojornalismo, ele fez registros belíssimos de suas andanças pelo mundo, a maioria deles usando uma antiga Leica, câmera alemã que virou objeto de culto. Seus flagras do cotidiano são uma verdadeira aula de enquadramento, composição e sensibilidade. A mostra, gratuita, se estende até meados de dezembro.

UM NEGÃO CHAMADO BASTIÃO Lembram que um passarinho verde cochichou no meu ouvido, há dois meses atrás, que Salvador estava prestes a ganhar um novo clube? A casa, chamada San Sebastian, será inaugurada amanhã, com os convidados Felipe Lira e Eric Cullemberg no som. Fica na Rua da Paciência, a poucos metros do Boomerangue e, a exemplo do já não tão concorrido vizinho, tem três andares e programação variada (apenas o sábado é gay). A novidade vem em boa hora: as bunitas da cidade já estavam enjoadas da Off e quase não saíam mais de casa, o que deixava a noite de Salvador com um certo quê de Porto Alegre. Se a casa agradar, é natural que se torne líder aos sábados, deixando para a Off o posto de melhor opção das sextas-feiras.

MARA OU MICO? E falando em Bahia, alguém aí vai se jogar no festival Heaven & Hell, na Costa do Sauípe? Sei que ainda faltam dois meses (o evento começa em 20 de novembro), mas já era para o burburinho ter começado. É claro que o evento não se destina apenas aos paulistas (até mesmo pela proximidade geográfica, faz mais sentido que Salvador e Recife estejam em polvorosa do que SP), mas a organização certamente também esperava receber muita gente destas bandas, e não estou vendo nenhum tititi em cima dele por aqui. O que vocês me dizem: decola ou não sai do chão?

NUEVOS BOLICHES Outra cidade cuja cena noturna parece estar sacodindo a poeira e dando a volta por cima é Buenos Aires. Depois que o Palacio Alsina deixou de fazer as melhores noites gays da cidade para receber apenas eventos eletrônicos, muita gente que não vive o culto aos DJs não gostou nadinha de ter que se contentar com o Amerika. Chegou aos meus ouvidos que agora há alternativas por lá. Na sexta, o que está pegando é o Rheo Bar, ali no Paseo de la Infanta, dentro dos Bosques de Palermo, onde nos anos 90 funcionava o Buenos Aires News (não entendi se é algo light tipo Sonique ou um clube mesmo). Já no sábado, o boliche gay do momento é o novíssimo Human, que fica perto do Aeroparque (o aeroporto doméstico de BsAs). O blogueiro Gurizão (que está se revelando um ótimo olheiro de beldades) foi e adorou.

A BRANCA E A MEGA Já em São Paulo, a chapa tá esquentando. Amanhã acontece a reabertura da Megga, que prometia ser o segundo grande clube gay da cidade, mas saiu misteriosamente de cena poucas semanas depois da inauguração [que eu descrevi aqui]. A casa abrirá apenas uma vez por mês, justamente para garantir a bombação e a expectativa - na pista principal, Paulo Agulhari prometeu menos bate-cabelo e mais progressive. Enquanto isso, a The Week lançará uma nova festa, Nuit Blanche, com decoração all-white e cenografia especial. Grá Ferreira, que fará seu casamento religioso na mesma noite, sairá da igreja direto para lá e se apresentará de véu e grinalda, na pista principal. No mínimo, vale pela oportunidade única de ver uma DJ tocando vestida de noiva.

8 comentários:

Anônimo disse...

eu (rj) e meus amigos (brasilia) já estamos com nossos pacotes do hell & e heaven comprados.

Ruy disse...

Gostei da dica da exposição, o SESC sempre traz ótimas coisas de graça. Fiquei dois meses enrolado pra ver a da Sophie Calle (no último fds convenci o marido a ir junto, porém perdemos a hora e a exposição se encerrou)então preciso me programar logo pra essa.

Isadora disse...

Super fã da fotografia de Cartier-Bresson ;)

Baiano disse...

San Sebastian tem uma decoração brega e todos os defeitos da política da The Week.

Sinceramente, gato, não vai durar mais do que seis meses.

Quanto a Hell etc, os baianos não podem pagar por isso, ou se podem não estão acostumados a tanto (preferem gastar em SP/Rio ou comprar bloco de carnaval). Isso era negócio pra paulista ver. Se os paulistas não estão animados, quem fará as vezes?

Não, os pernambucanos não conhecem a Bahia, que dirá Sauípe. rsrsrs

Abraços

Gilberto Scofield Jr. disse...

Fico alegre com a notícia da nova buáti (adooooro este nome de festa no Rio, que eu nunca fui), ainda que o anônimo aí ache brega e tal. Porque o fato é que Off como opção única é chato, muito chato. Uma outra opção, ainda que brega, pode ser uma lufada de vento nessa cena soteropolitana. E eu chego em Salvador com Rodrigo dia 18 de dezembro. Então achei óteeemo. :) Bjs, queridaum

hpaulista disse...

Quanta coisa, heim Introspective?
:)
boa semana pra vc!
abç

Anônimo disse...

Nossa de noiva tocando que ridiculo meu deus!!!!!!!!

Guy Franco disse...

Podia ser tema da noite, aliás. Vestido de noiva. Noiva paga meia. Eu iria. Vestidinho curto, sem mangas, uma coisa mais solta, pra dançar mesmo.